quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

A DECADÊNCIA DA ÉTICA


Osvaldo Giacóia Jr.
O impacto de Nietzsche no século XX - 50 min.



Decadência da Ética

Analisando-se a situação socioespiritual do planeta na atualidade, não há como negar-se a presença da destrutiva onda de pessimismo e utilitarismo que domina as criaturas humanas em toda parte.

Apoiados no niilismo, embora os comportamentos rotulados de religiosos de alguns dos seus segmentos sociais, o cinismo das pessoas e a decadência da ética dão-nos a dimensão do desespero que avassala as mentes e os corações atormentados.

Em consequência, a violência e o despautério, a drogadição e o erotismo substituem as aspirações de enobrecimento dos seres, como mecanismos escapistas para preencher o vazio existencial e o desencanto que se apossaram do século XX, que se desenhava com perspectivas iluministas, libertadoras, ricas de anseios de felicidade e de beleza.

A amargura toma conta dos indivíduos que se sentem coisificados, enquanto a revolta arma as multidões desvairadas que se levantam contra os abusos do poder, as injustiças sociais, os desregramentos dos dominadores, a desonestidade dos legisladores que perderam o respeito moral, a liberdade e o direito de viver com o mínimo de honestidade que seja...

Pode-se afirmar que a aparente calma que ainda paira sobre algumas nações não esconde os paióis de explosivos prestes a deflagrar o estouro prenunciador das tragédias que produz.

Não se trata, porém, de uma ocorrência inesperada, quando se observam as suas raízes plantadas no fim do século XVIII, por ocasião da Revolução Francesa, quando a tirania substituiu os ideais dos filósofos da liberdade, instaurando os dias do terror.

Em desesperada tentativa de manter a ordem na França, Robespierre, chamado “ o incorruptível”, que lutara pelos ideais da fraternidade, da liberdade e da igualdade, não teve forças morais para resistir às pressões do desespero das massas e de outros pensadores mantendo a guilhotina a funcionar sem trégua, ao ponto de tornar-se ultrajante ditador e sanguinário. Vítima de um golpe dos seus adversários da Convenção, foi preso e também guilhotinado.

Nesse período difícil, a morte de Deus foi anunciada, e a revolta retirou os vestígios da Sua presença no país, inclusive mudando os nomes de ruas, boulevards e praças que os tivessem de santos ou denominações religiosas, assim como os objetivos de culto das igrejas, tentando apagar a lembrança da fé e da crença espiritual no território francês.

Logo depois, com o retorno de Deus através da Concordata de 1802, firmada por Napoleão Bonaparte com o Vaticano, permaneceram os ódios e resquícios do período de revolta e de perseguições inclementes, dando lugar a um amortecimento ético dos sentimentos.

O Iluminismo em declínio favoreceu o Positivismo em ascensão, enquanto as ideias pessimistas e destrutivas de Arthur Schopenhauer espalhavam-se por toda parte, proclamando a desnecessidade de Deus e de qualquer formulação religiosa no comportamento humano.

À medida que o materialismo tomava conta da cultura, a amargura doentia de Friedrich Nietzsche passou a comandar as mentes e os corações desesperados no ceticismo científico das Academias, que asseverava ser a alma uma sudorese cerebral que desaparecia com a morte do encéfalo. Nessa paisagem de morbidez e desencanto, o ateísmo tornou-se a diretriz comportamental dos indivíduos, que logo depois se atiraram à guerra perversa de 1869-1870, que ressurgiu entre 1914-1918 e retornou calamitosa entre 1939-1945, com as mais inacreditáveis cargas de ódio e destruição de que a História tem notícias.

Muito contribuíram para essa tragédia as ideias do super homem do referido Nietzsche e o pensamento de Heidegger, que muito influenciou o surgimento do nazismo, partido ao qual ele se filiou por algum tempo, embora rompendo depois, quando da perseguição aos professores judeus da Universidade de Freiburg, onde era reitor...

A ética do mais forte substituiu a dos direitos humanos e da dignidade, em face da aristocracia do poder totalitário e insano de alguns governantes...

Heidegger influenciou filosoficamente Jean-Paul Sartre com o seu pensamento sobre o ser, servindo de inspiração para o existencialismo e total desinteresse pelos valores ético morais que conduziram a civilização ao largo dos séculos.

Viver agora e fruir ao máximo, não poucas vezes sem qualquer respeito pelos direitos dos outros, cultivar o prazer até a exaustão, passaram a ser os comportamentos aceitos e divulgados como recurso valioso para a preservação da vida e das experiências de alegria e de bem estar.

Lamentavelmente, as religiões ortodoxas, incapazes de oferecer resistência filosófica e ética aos absurdos da nova ordem por se manterem fiéis aos programas medievais totalmente ultrapassados, foram desprezadas e consideradas responsáveis pela miserabilidade do ser humano, pelos seus desaires, pelas suas amarguras.

Carregado pelas heranças teológicas do pecado e da culpa, o ser humano rompeu com as tradições enganosas e preferiu arrostar as consequências de sua liberdade, derrapando na libertinagem.

Sucede que, toda vez quando se arrebentam as algemas da escravidão de qualquer tipo, a ânsia de liberdade é tão grande que, por desconhecimento dos seus limites, aquele que a aspira tomba nos resvaladouros da irresponsabilidade, da agressividade aos direitos alheios, do abuso desrespeitoso...

Assim ocorrendo, desaparece a ética da conduta para apresentar-se o direito de exceções colocando-se o indivíduo acima da lei, da ordem e de qualquer restrição.

Os avanços da Ciência, demitizando algumas das informações e dogmas religiosos, os milgres de Jesus, que passaram a ser observados do ponto de vista das doutrinas psicológicas e parapsicológicas, reduziram a cultura ao materialismo, desde 1859, quando Charles Darwin, através do Evolucionismo, aplicou o golpe de misericórdia no mitológico Criacionismo bíblico, servindo de suporte para a vitalização do ateísmo...

A contribuição da Tecnologia, alargando e aproximando os espaços e as distâncias, facultando a demonstração dos postulados científicos através das experiências dos fatos, foi fundamental para a indiferença humana pelos códigos de dignidade e de valorização da própria vida.

O século XX, portanto, herdeiro da revolução filosófico científica do passado, rapidamente aceitou o novo comportamento que se consolidou durante a revolução hippieísta dos anos 60, quando se deram as grandes mudanças de conduta, e as tradições nobres como a família, o casamento, a dignidade, a ordem passaram a ser instituições ultrapassadas.

Irrompendo em avalancha avassaladora, tomou conta da juventude, que se sentia castrada pela intolerância e pelo poder dominador, passando a constituir um novo mundo, um modo diferente de vida...

O aborto, a eutanásia, o suicídio, a agressividade, passaram a ser éticos na linguagem nova, que iria culminar nos homens e mulheres bombas, nos atentados terroristas, no crime organizado, na violência urbana, no alcoolismo exacerbado, no tabagismo, na drogadição e no sexo destituído de qualquer sentido moral e afetivo.

Dando-se largas aos instintos primários, o nadaísmo, estimulando o erotismo, coisificou os seres humanos, que passaram a vender-se no mercado da luxúria sem qualquer pudor, sob o disfarce de experiências artísticas, desde que economicamente rentáveis.

Nesse comércio hediondo, em que pouquíssimos logram alcançar os patamares elevados, multidões de jovens inexperientes são devoradas pelas máfias que o administram, passando os tratores da indiferença sobre os corpos e as almas mutiladas daqueles que ficaram vencidos durante as tentativas iniciais.

Inevitavelmente, houve uma total decadência ética da cultura e da civilização, que passaram a adotar os novos deuses do prazer e do engodo, da utopia e da mentira, embora vivendo-se o vazio existencial que leva à depressão e ao suicídio.

Nada obstante, nesse ínterim, surgiu o Espiritismo em 1857, revitalizando a ética moral, baseada nas lições insuperáveis de Jesus, que foram corrompidas pelas ambições e conchavos humanos através dos séculos, desde o dia em que se uniram ao Império Romano, passando de perseguidas a perseguidoras.

Com a revelação dos imortais, a vida passou a ter sentido profundo e significado psicológico indiscutível como decorrência da proposta filosófica erguida pelos pilotis dos fatos demonstrativos da imortalidade da alma, da vida futura, da justiça divina e da Lei de Causa e Efeito, responsável por todos os fenômenos humanos.

A partir de então, embora lentamente, vem sendo restaurada a proposta do amor como sendo a fonte inexaurível para a felicidade, em razão dos seus conteúdos otimistas e realistas, que dignificam a espécie humana, proporcionando-lhe os necessários estímulos para desenvolver-se e atingir as culminâncias da iluminação pessoal.

A falência do novo comportamento niilista encontra-se em toda parte, porque a sua doutrina enganou os seus adoradores, conduzindo-os às aflições superlativas e às angústias dantes jamais vivenciadas.

Aturdidas, essas multidões decepcionadas e sem rumo buscam, mesmo sem o saber, retornar às origens do bem e da alegria, ao encontro da pureza de sentimentos e de convivência nobre, sentindo falta da fraternidade que deve sempre viger entre os seres humanos, sequiosos de paz e de esperança.

Ninguém pode viver em equilíbrio sem a bênção confortadora da esperança que abre perspectivas formosas para o futuro.

O Espiritismo, portanto, possuindo os paradigmas que foram deixados para trás pelo anarquismo e ceticismo, apresenta-os como propostas que levam à ética do dever e da harmonia, propiciando ventura.

A crença em Deus, a crença na imortalidade da alma, a crença na comunicabilidade dos Espíritos, a crença na reencarnação, a crença na pluralidade dos mundos habitados e as propostas ético morais de O Evangelho segundo o Espiritismo, que proporciona uma releitura das lições insuperáveis de Jesus, conforme as conhecemos em as narrativas dos evangelistas, são as novas diretrizes para a construção do ser humano feliz e da sociedade ditosa que todos aspiram.

Não há alternativa, exceto a coragem para superar a crise moral que domina praticamente toda a sociedade contemporânea, reflexionando e vivendo a vigorosa ética espírita, que resume as mais grandiosas formulações da ancestral diante das novas necessidades que tomam conta da sociedade.

Revigorada, a ética lentamente ressurge e passará a comandar os destinos humanos na direção da paz e da alegria de viver mediante o correto culto dos deveres.

Vianna de Carvalho

(Página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, em Boca Raton, Flórida, EUA, na manhã de 24 de junho de 2009, publicada em “Reformador” de setembro de 2009).

Palestra do Prof. José Paulo Neto
- Modernidade e Pós-Modernidade - 89 min.

Cultura Pré-Romântico: 
crítica ao Iluminismo e ideia de Decadência
(1750-1784).

Márcio Macedo Moreira
Universidade Federal da Paraíba - Graduando
José Ernesto Pimentel Filho (Orientador)
Universidade Federal da Paraíba - Professor Doutor

Resumo
 O pensamento racional formulou a ideia de civilização, o apogeu do homem
estava por vir pelo refinamento dos costumes e pela valorização da polidez. Para
os iluministas “as leis naturais” levariam o homem ao progresso, logo civilização e
progresso são conceitos inseparáveis. Ocorre que dentro do movimento
iluminismo denominado Ilustração se deu a crítica à ideia de progresso. Esta
crítica se iniciou com Jean-Jacques Rousseau, genebrino que a partir de suas
obras criticou a ideia de razão e formulou o pessimismo histórico do qual a
civilização estava desmoralizada, corrompida e desligada de suas vontades
naturais nobres. Rousseau abriu as portas para uma crítica mais forte para o
racionalismo iluminista que veio de uma Alemanha descrente de seus ideais
políticos e nacionais. 

O Sturn und Drang, movimento cultural e literário organizado
por jovens alemães da classe média criticou a corte prussiana de Frederico II e
formulou a ideia de kultur. Tanto em Rousseau como no Sturn und Drang se
origina o sentimentalismo romântico e dentro deste sentimentalismo o
pessimismo. A ideia de uma “civilização” decadente era evidente e já que a
solução era abstrata cabia aos poetas alemães e a Rousseau apenas
deslumbrar a decadência do homem. A metodologia usada para o trabalho foi
derivada da leitura de textos traduzidos das obras de Rousseau, Herder e Goethe
assim como teóricos da ideia de decadência tais como Le Goff e Harman. 

Este movimento que vai de 1750 com a publicação do Discurso sobre as Ciências e as
Artes de Rousseau até 1784 quando Herder termina de publicar Idéias para a
Filosofia da História da Humanidade montou as bases para o Romantismo,
movimento filosófico do século XIX que continua até os dias atuais. A ideia de
decadência da “civilização” ocidental esteve sempre presente nos debates
filosóficos e historiográficos, idéia esta lançada pelo movimento acima citado.
Palavras – chave: 1- Ideia de decadência 2- Pré-Romantismo 3- Iluminismo 2 

1.0 Apresentação
O século XVIII foi o século das luzes na França assim como na Alemanha
foi o século das brumas. A ideia de progresso e de uma ciência cartesiana
preponderava no pensamento francês. Objetividade e racionalismo diferenciavam
civilização e barbárie. No mesmo século XVIII o Iluminismo foi criticado em duas
frentes, de um lado Rousseau, com “uma reflexão sobre o homem e o homem
“natural” – historicidade da razão e das linguagens, história do homem, do
homem mau. O amor de si que se desvia em amor próprio, pela razão” (Ituassu,
2002, p.184). Do outro lado, na Alemanha, a critica vem do movimento conhecido
como Sturn und Drang. Movimento de jovens alemães que buscavam uma
identidade nacional ao criticar a corte alemã. Entre estes se destacaram Herder, o
jovem Goethe e Schiller.

 No embate historiográfico a crítica ao Iluminismo tanto em Rousseau
quanto no Sturn und Drang estava centrado no pessimismo histórico relativo a
ideia de decadência. Certamente Rousseau e o Sturn und Drang não
concordavam em todos os pontos relativos ao processo civilizador que será
explicado adiante.

 Rousseau e o Sturn und Drang trazem uma nova maneira de pensar a
idéia de progresso, esta linguagem agora está na decadência. Razão, costumes
civilizatórios, urbanidade entre outras características do Iluminismo serão
duramente criticados.

Foi a partir de Rousseau que o progresso Iluminista passou a ser criticado,
ainda que o próprio Rousseau fosse um Iluminista. Rousseau influenciou o Sturn
und Drang nos aspectos relativos a volta ao estado de natureza e ao
subjetivismo. Este período dos anais da crítica ao Iluminismo é conhecido como
pré-romantismo.

 Entre a critica de Rousseau e a do Sturn und Drang há uma diferença
fundamental exposta por Norbert Elias:
A despeito de todo o radicalismo de sua critica social, porém,
Rousseau não chegou a forjar um contraconceito inclusivo e
unificado contra o qual lançar as críticas acumuladas. (...)
Enquanto os membros da intelligentsia alemã de classe média
(...) forjam conceitos que divergem frontalmente dos modelos da
classe alta.(...) À parte alguns estranhos, como Rousseau, não
opõem ideais e modelos dessa ordem. As palavras “falsa
civilização” contêm tudo o que a diferencia do modelo alemão.3

Os escritores franceses sugerem 
que a falsa civilização deve ser substituída pela autentica. 
( ELIAS,1994, p.55)

Elias em seu clássico O processo civilizador (1939), expõe no volume 1 a
construção da ideia de civilização tanto na França quanto na Alemanha. Para ele
é a estrutura da construção do Estado que diverge o conceito de Zivilisation na
França contra o conceito de Kultur na Alemanha. A França constrói o conceito de
civilização e o leva até a corte alemã, a sociedade perfeita é uma sociedade
“civilizada” com etiquetas e costumes nobres. Frederico II é o maior exemplo de
como a corte alemã estava carregado de pensadores franceses entre eles
Voltaire do qual foi de estima amizade para com o rei da Prússia. Da crise de
identidade da corte e de uma Alemanha esfacelada territorialmente surge uma
classe média desesperançada e pessimista.

Enquanto a Inglaterra já realizou sua revolução política e na
França se trava a luta ideológica da qual a realeza sairá vencida,
a Alemanha esgotada pela guerra dos Trinta Anos, ainda não
passa de um conglomerado de Estados que só tem em comum a
língua. Os príncipes, mais preocupados em manter os seus
privilégios do quem em assegurar o bem-estar de seus povos,
são solidários das aristocracias estrangeiras que eles se
esforçam por macaquear. (AUTRUSSEAU, 1982, p.109)

 O Sturn und Drang buscava uma mudança política na Alemanha, mas
como não encontrava brecha para se expressar, para criticar o projeto civilizador
francês, utilizavam a literatura para tal processo. A única maneira de combater a
zivilisation era impondo o projeto de kultur. Foi na busca desta cultura, que hoje
podemos chamar de cultura popular o que Herder, sob a influencia dos irmãos
Grimm, valorizou as raízes alemã e moldou uma História Cultural alemã. A
decadência para os alemães estava na extrema sensibilidade, “no amor de si”
com características ambíguas em Herder e Goethe. No discurso de kultur esta
guardada a decadência da zivilization.

 Rousseau é um “estranho” na França até certo ponto. Seu objetivo não é
adotar a kultur, como salvação pra o projeto civilizador, mas é criticar vertentes
iluministas que adotam os costumes bizarros das artes e das ciências como
estado perfeito da civilização. Rousseau critica a civilização do progresso e busca
uma civilização perfeita, contratualista e de plena liberdade para seus cidadãos.
 Exposta as contradições entre Rousseau e o Sturn und Drang para não
nos iludir, as duas vertentes de pensamento tem um ponto em comum de grande
importância para a História e para a Filosofia: a origem do Romantismo.

Pessimismo, irracionalismo e ilusão são palavras-chave usadas contra a
“verdade” burguesa de progresso e civilização expostos no Iluminismo, são
palavras românticas que desembocam na linguagem da decadência.

2.0 O Pessimismo rousseauniano  
Rousseau, Herder e Goethe olhavam a natureza, as origens do homem, como estado de paz e de vigor. A civilização representada pela urbanidade foi originada pela desgraça do mundo, pelo homem corrompido.
 A partir de agora observaremos como estes pensadores viam a natureza como refúgio
 para o espírito humano.

 Rousseau busca conhecer o homem em seu estado mais natural e em
seguida expõe como este homem foi corrompido. Duas obras são importantes
para tal levantamento: Discurso sobre as Ciências e as Artes (1750) e Discurso
sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens (1754/55). A
desigualdade para Rousseau não decorria da natureza, pois no estado de
natureza o homem era livre e feliz, ao viver de acordo com a sua conservação,
“os únicos bens que conhece no universo são a alimentação, uma fêmea e o
repouso; os únicos maus que teme, a dor e a fome” (ROUSSEAU, 1988, p.48.) 

progresso levou este “noble savage” ao enfraquecimento. Na primeira parte do
livro sobre a desigualdade entre os homens, Rousseau descreve como o homem
em seu estado selvagem é forte e veloz e como este homem ficou fraco e lento
com o progresso civilizador. A origem da desgraça humana Rousseau descreve
quase sempre nas aberturas de seus principais livros. No inicio do livro II sobre a
Origem das Desigualdades Rousseau expõe:

O verdadeiro fundador da sociedade civil foi o primeiro que,
tendo cercado um terreno, lembrou-se de dizer isto é meu e
encontrou pessoas suficientemente simples para acreditá-lo.
Quantos crimes, guerras, assassínios, misérias e horrores não
poupariam ao gênero humano aquele que, arrancando as
estacas ou enchendo o fosso, tivesse gritado a seus
semelhantes: “defendei-vos de ouvir esse impostor: estareis
perdidos se esquecerdes que os frutos são de todos e que a terra
não pertence a ninguém!”(Rousseau, 1988, p. 63)

A propriedade privada levou o homem a decadência, propriedade esta tão
louvada por Locke e outros iluministas. Além desta citação á outras de grande
importância:

Tudo esta bem quando sai das mãos do autor das coisas, tudo
degenera entre as mãos do homem. Ele força uma terra a
alimentar as produções de outra, uma arvore a carregar os frutos
de outra. Mistura e confunde os climas, os elementos, as
estações. Mutila o seu cão, seu cavalo, seu escravo. Perturba
tudo, desfigura tudo, ama a deformidade e os monstros. Não quer
nada da maneira como a natureza o fez, nem mesmo o homem; é
preciso que seja domado por ele, como um cavalo adestrado; é
preciso apará-lo a sua maneira, como uma árvore de seu jardim.
(ROUSSEAU, 2004, p.7)

 No Contrato Social (1757), Rousseau expõe no capítulo I, “O homem
nasce livre, e por toda a parte encontra-se a ferros. O que se crê senhor dos
demais, não deixa de ser mais escravo do que eles”. É sobre esta ótica
pessimista do homem civilizado que Rousseau critica e inaugura a profetização
da decadência do homem. O progresso civil trouxe para o homem o
aprisionamento ao submeter o homem ao trabalho e à miséria. A direção que
Rousseau toma para a História não ficou clara. No Contrato Social e no Emílio
(1762) uma sociedade utópica é construída por Rousseau como solução para
resolver os problemas do homem. Ocorre que o próprio Rousseau não coloca a
mão no fogo por suas idéias. No caso da educação, uma das maneiras de
solucionar a decadência humana Rousseau escreve:

Mas terei dito que era fácil uma educação natural? Ó homens!
Será minha culpa se tornastes difícil tudo o que é bom? Percebo
estas dificuldades, concordo; talvez sejam insuperáveis, mas
também é verdade que nos esforçando para preveni-las,
prevenimo-las até certo ponto. Mostro o alvo que devemos
propor-nos; não digo que possamos alcançá-los, mas sim que
aquele que mais se aproximar dele será o mais bem sucedido.
(ROUSSEAU, 2004, p.99)

Só “até certo ponto” a sociedade utópica de Rousseau alcançaria seu
objetivo, mas que ponto é este? Deixo aqui a dúvida.
Rousseau foi o primeiro crítico do capitalismo e ao fazer esta crítica,
atingiu a sociedade mercantil e deu espaço para o liberalismo romântico
(HERMAN, 1997, p.38). Com o liberalismo romântico, a burguesia passou a
valorizar o estado democrático formado por uma nacionalidade, por uma
identidade linguística e cultural. Rousseau influenciou a política francesa
pós-revolução tal como Robespierre e Napoleão. No campo filosófico seu
pessimismo continuou tanto em liberais quanto em socialistas.

A crítica ao Iluminismo estava formada, a ideia de Nação francesa como
uma civilização verdadeira estava posta em campo. Enquanto isto na Alemanha
as nevoa só estavam aumentando enquanto as luzes ficavam ofuscadas, a
necessidade de uma Nação era maior do que na França. O Sturn und Drang
estava chegando para fazer uma crítica mais forte do que a crítica de Rousseau.
Era a Tempestade e Ímpeto sobre a literatura alemã que faria a crítica ao
Iluminismo. 6

3.0 Tormento e Ímpeto
O Sturn und Drang ultrapassou as fronteiras de Rousseau e negou a
existência de uma razão universal. A idéia de individuo, de uma nação “alemã”
veio à tona contra as coroas absolutistas. Para encontrar a “alma” alemã, os
jovens do Sturn und Drang foram buscar suas raízes na natureza. Esta busca
encontrou a Idade Média cheia de lendas e heróis. Ao mesmo tempo em que a
Alemanha buscava seu mito fundador, o sentimentalismo invadiu a classe média
burguesa desprivilegiada culturalmente. Para eles só no individualismo o
“homem” se conhecia e não através de uma Razão cortesã corrompida. A
burguesia alemã passou a viver de “Tormento e Ímpeto” , nome dado á uma peça
teatral de Maximilian Klinger em 1776, nome que em alemão significa “Sturn und
Drang”, dado ao movimento literário e cultural.

 A corte alemã para esses jovens poetas da classe média foi corrompida
pelo Iluminismo francês, daí surge a crítica ao Iluminismo e o pessimismo
histórico. Vale salientar que a briga no Sturn und Drang não estava no plano
político, pois eles não queriam uma Revolução política tal como ocorreu na
França. O que os alemães queriam eram valorizar seus próprios costumes, uma
identidade cultural e não um Iluminismo estrangeiro que levava a decadência. As
diferenças entre as idéias das classes sociais alemães são evidentes, tal como
mostra Norbert Elias:

Na Alemanha, igualmente, a burguesia torna-se mais prospera. O
rei da Prússia percebe este fato e diz a si mesmo que ele levara
ao despertar da arte e da ciência, a uma “feliz revolução”. A
burguesia porém, fala uma língua diferente da usada pelo rei. Os
ideais e gosto da juventude burguesa, seus modelos de conduta,
são quase o oposto dos seus.

Em Dichtung und Wahrheit (Poesia e Verdade), Livro 9 escreve
Goethe: “Em Estrasburgo, na fronteira francesa, libertamo-nos
imediatamente do espírito dos franceses. Descobrimos que seu
estilo de vida era regulamentado e aristocrático demais, fria a
sua poesia, destrutiva sua critica literária, e abstrusa e
insatisfatória sua filosofia.” (Elias, 1994, p.35)

 Contrario ao “progresso corrupto francês” evidenciado por Rousseau, os
alemães encaram o progresso tristemente.

 O inicio do Sturn und Drang ocorreu quando Herder ao viajar para Paris,
se apavorou com a moderna e civilizada urbanidade francesa, ao fugir da
pavorosa cidade, Herder se instalou em Estrasburgo onde conheceu Goethe, fato
ocorrido em 1769 (AUTRUSSEAU, 1974, p. 120). Herder e Goethe foram as
personalidades mais conhecidas do movimento. Percebe-se em suas obras um
homem ou uma nação sem esperança, característica de um ideal de decadência.7

 O Goethe mais conhecido da História da Literatura é o autor de Fausto,
este já mais erudito, mais recepcionado pela grande intelligentsia alemã, o
Goethe que tratamos neste artigo é o jovem, o romântico e sentimental que fugia
da urbanidade francesa. .Sua obra principal conhecida neste período é Os
sofrimentos do Jovem Werther (1775), Werther é um jovem que foge da
civilização e vai morar no campo, onde vive um extremo sentimentalismo que o
acaba levando ao suicídio. Werther via a decadência humana na própria “alma”:
A vida humana não passa de um sonho. A muita gente ocorreu
essa impressão que também me acompanha por toda a parte.

Quando vejo os limites que aprisionam as faculdades de ação e
pesquisa do homem, e como toda atividade visa apenas a
satisfazer nossas necessidades, que por sua vez não tem outro
objetivo senão prolongar nossa mísera existência; quando
verifico que toda a tranqüilidade em relação a certos pontos não
passa de uma resignação sonhadora, como um prisioneiro que
enfeitasse de figuras multicoloridas e luminosas perspectivas as
paredes da sua prisão... tudo, Wilhelm, me faz emudecer.

Concentro-me e encontro um mundo em mim mesmo! Mas,
também aí, é um mundo mais de pressentimentos e desejos
obscuros do que de imagens nítidas e forças vivas. Tudo flutua
vagamente em meus sentidos, e assim, sorrindo e sonhando,
prossigo na minha viagem pelo mundo. (GOETHE, 2006, p.18).
 Werther é o personagem que se enquadra no homo romanticus e
desemboca no homo hystericus, um homem sem saída, um homem no fim
(BRUSEKE, 2004, p.26). 

Assim como Rousseau, Goethe vê o progresso civilizador como uma “prisão” do qual a única maneira de alcançar a liberdade encontra-se no extremo eu e na natureza. Os costumes naturais em Rousseau tal como foi exposto no Emílio são os costumes do qual o Sturn und Drang tenta construir para salvar a Alemanha da decadência. Para os dois a natureza
humana é limitada, o homem esta cada vez perto de seu fim, pois este não pode
amar, sorrir e nem sonhar, a sociedade sucumbe perante uma gaiola de ferro
construída pelos Iluministas. É de bom grado repetir que este sentimentalismo
estava presente quando as Luzes atavam mais acessas do que nunca. Goethe
não viu escapatória para o jovem Werther, pois este teve que se matar para se
livrar deste mundo. Agonia de viver em uma realidade progressista e decadente,
a única salvação estava no individuo só este poderia resolver seus problemas (e
não o Estado). Fugindo da realidade o homo hystericus vive um mundo de
ilusões, uma ficção do qual o resultado é a morte.

A natureza humana – prossegui – é limitada: ela suporta a
alegria, a tristeza, a dor até certo ponto; se ultrapassar ira
sucumbir. (...) Nesse caso acho tão absurdo dizer que um homem
é covarde por haver dado cabo da própria vida, como seria
absurdo chamar de covarde o que esta morrendo de uma febre
maligna. (GOETHE, 2006, p.50) 8

Famoso livro, Os sofrimentos do Jovem Werther arrastou suicidas pelo
mundo durante os séculos XVIII e XIX como obra fundadora do Romantismo.
Ao discordar do Iluminismo, Herder não pensava a História como
cosmopolita, e sim como individualista e variável. Ele compara as nações a uma
planta, ela nasce, cresce, floresce e morre, cada nação tem sua característica,
sua kultur. O pessimismo histórico em Herder está em sua historicidade orgânica
das nações, perto do progresso esta a decadência. O Iluminismo revelava um
falso progresso tal como foi explicado em Rousseau e isto fica claro em Herder:
E ainda se com tudo isto algum progresso fosse visível? 

Mas onde se revela ele na História? Nesta só se vê por toda parte destruição, 
sem qualquer vislumbre de o que aparece de novo ser melhor do que foi destruído.
 Há nações que florescem e outras que declinam. (...) Triste destino o do gênero humano que, apesar de todos os seus esforços, se encontra preso à roda de Ixíon, agrilhoado
 à pedra de Sísifo, condenado a um suplício de Tântalo. (Herder, 2004, p-52)

Para Herder a humanidade estava fadada a um eterno retorno, sempre
que se atinge o ápice civilizatório, ocorria a decadência, dos escombros desta
decadência surgia uma nova nação, brotava dos restos de uma planta antiga,
assim se baseia a História. Este fardo era inevitável. Nota-se que Herder busca a
solução para a decadência ao fazer a sociedade retornar para suas origens, sua
infância, como descreveu Rousseau, o retorno à natureza. Este retorno para
Herder estava no desvendamento da Cultura Popular, daí a ligação entre Herder
e os irmãos Grimm: a busca das fábulas. A História é irreversível, a decadência
também, daí surgi o pessimismo de Herder. Com uma identidade cultural forte, a
nação alemã estaria mais saudável, a corte alemã era a doença da nação, sem
ela a Alemanha ficaria mais próspera e repudiaria a decadência.

A fuga em Herder era para os costumes formadores da nação alemã e
cada nação seria uma nação fechada. Este individualismo exagerado derrama no
nazismo orgulho e identidade de uma raça ariana. A Alemanha unificada seria
uma grande nação, uma nação melhor do que todas as outras e que ao estar em
progresso poderia levar outras nações a decadência. Herder foi um grande
pensador, sua ideia de nação fermentou a política romântica no século XIX. Toda
sociedade estava fadado à decadência, bastava ao “gênero humano” se
resguardar na sua cultura, nas suas origens.

Nem só de Goethe e Herder foi feito o Sturn und Drang. Para não ficarmos
neles mais dois exemplos serão mostrados: Hamann e Schiller.9

 Johann Georg Hamann (1730-1788) era mais um filósofo sem esperança,
a razão como em Goethe era para ele limitada, a angústia leva a interioridade e a
interioridade a decadência da alma.

A razão não descobri nada mais do que aquilo que Jô já havia
visto, a saber, a desventura do nascimento, a superioridade da
morte, a inutilidade e a insuficiência da vida humana, pois não
sabemos nada e sentimos em nós paixões e instintos cujas
razoes não compreendemos. (AUTRUSSEAU, 1982, p-117)

Para Hamann, faltava a sociedade entender o gênio que guia a
humanidade, a razão iluminista era insuficiente para entender isto, logo Hamann
via a decadência na própria alma, a decadência como algo imanente ao homem.
A crítica neste caso ia direto ao racionalismo que trazia a desesperança e não a
uma sociedade decadente em si. A razão transcendente levava a emoção
imanente. Friedrich von Schiller (1759-1805) foi outro exemplo de escritor
atormentado, ele abalou as estruturas absolutistas da Alemanha com sua obra.

Os salteadores, além de ser contra a cultura cortesã, Schiller criticava
arduamente os costumes iluministas e assim como os outros via a sociedade
européia atual como decadente. Seus personagens tinham caracteres
revolucionários como o Karl Moor que tinha como ultima opção incendiar uma
cidade para reverter um Estado inabalável. No livro Cabala e Amor o nobre
Ferdinando e a humilde Luísa se refugiam da sociedade cortesã e acabam
quebrando a estrutura social da época, um escândalo e ao mesmo tempo, uma
desesperança com a impossibilidade de mudança. Além de Hamann e Schiller,
maus conhecidos do Brasil, á outros autores do movimento tais como Klopstock,
Wieland e Lenz.

4.0 Conclusão
 O pensamento negativo ligava os pensadores que criticavam o
Iluminismo. Rousseau foi o profeta da negatividade, a ovelha negra da família
iluminista, o que limpou o terreno para o Sturn und Drang, aqui a critica foi mais
ferrenha. “A crítica” não é o resultado destes movimentos. A negatividade e o
pessimismo histórico, a História “desconstrutiva” nasce aqui, com a desconstrução  
da razão dos antigos e dos iluministas. A partir daqui a História corre para o seu fim, 
não escatológico, mas político seja democrático como foi posto em Fukuyama ou
 comunista tal como pregava Karl Marx. A partir do Romantismo duas vertentes da direção da História vieram a tona: o progresso e a decadência. Rousseau e o Sturn und Drang foram o percussores da doutrina de uma sociedade decadente, em seu estado final.

 Sobre a base da ideologia estão as revoluções. A Revolução burguesa foi
preparada para fins progressivos. Ocorre que a sociedade perfeita, “a vontade
geral” não foi uma realidade concreta. O pessimismo entre os descontentes fez
surgir uma escapatória para a direção da História. Esta direção marcou o
Romantismo, uma direção sem volta, a morte da alma e a morte da civilização.
No fundo era isto que Rousseau e o Sturn und Drang queria trazer de novo:
repensar a sociedade burguesa o que daria massa para uma nova pesquisa.


Capitalismo e Socialismo - 11 min.


O homem nasceu mau? 1 min.

História da Humanidade - Volume VII
Renascimento - Reforma Protestante e Iluminismo - 28 min.

Fontes:
Licença padrão do YouTube
http://doutrinaespirita.com.br/?q=node/94
Sejam felizes todos os seres. 
Vivam em paz todos os seres. Sejam abençoados todos os seres.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

TEORIA DAS CORDAS - A Resposta


Teoria das Cordas - Universo Elegante - Episódio 2 - Cordas, A Resposta


"A pretensa geometria a quatro, cinco, n dimensões, que imaginasteis, é uma extensão da análise algébrica e não uma geometria propriamente dita. Trata-se de uma pseudo-geometria, mera construção abstrata, com formas inimagináveis e inexprimíveis na realidade geométrica."

"Como todo universo é trifásico, é também tridimensional. Chegados à terceira dimensão, é necessário, para progredir — em virtude do princípio da unidade trina — iniciar nova série tridimensional, pois o período precedente exauriu-se; é indispensável sair do ciclo precedente para começar outro novo. Chegaremos, depois, ao conceito da evolução das dimensões, dilatando a concepção einsteiniana da relatividade, quer estedendo-a a todos os fenômenos, quer em profundidade de conceito".

A Grande Síntese - Pietro Ubaldi - 
Cap. 34. QUARTA DIMENSÃO E RELATIVIDADE - p. 56, pdf.

No início passei a ser fã dessa teoria, mas agora, analisando o aspecto filosófico junto de caras como Lee Smolin, vejo-me mais cauteloso diante da empolgação inicial, tão comum a jovens físicos.

Roger Penrose disse certa vez que a teoria das cordas só se ocupa com o aspecto da renormalização, aliás um dos terrores de Dirac.

Outro problema é que a teoria não explica o espaço. Já a Teoria rival da Gravidade Quântica em Loop (laços ou anéis) busca equacionar o espaço mas peca em relação às partículas e o tempo.

Bom, nesse chumbo cruzado destaco a Teoria Ondulatória da Matéria de Milo Wolff e o Princípio de Equivalência Forte de Einstein - De Aquino como inspiradores de novos trabalhos a, quem sabe, juntar as duas áreas. De sobremesa podemos ainda saborear as ideias de Hawking sobre buracos negros e brancos somadas ao conceito de torque gravitacional (espécie de curvatura torcida do espaço-tempo) de Haramein - Rausher.

Fontes:
Eliel da Silva 
https://youtu.be/UUEO8RABs6M
Publicado em 1 de out de 201- Licença padrão do YouTube

Sejam felizes todos os seres.
Vivam em paz todos os seres . Sejam abençoados todos os seres

domingo, 29 de novembro de 2015

JEJUM - O REPOUSO FISIOLÓGICO

Viver de Luz - Evelyn  Levy Torrence - 1/2 - 11 min.
Viver de Luz - Evelyn  Levy Torrence - 2/2 11 min.


Processo dos 21 Dias
Por Evelyn Levy Torrence

desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,

Muitos estão questionando sobre o caminho mais correto de realizar o processo dos 21 dias sem alimentação, e também sobre a veracidade desta experiência humana tão fora dos padrões vitais conhecidos por nossa civilização.

Para esclarecer melhor todos os pontos, vamos explicar o processo passo a passo, começando pela decisão em realizá-lo para si.

Esse processo não é e nem pode ser considerado como uma “nova dieta de emagrecimento”. Essa nunca foi a proposta do trabalho, que visa única e exclusivamente a desintoxicação orgânica humana e reconexão interna com o Eu Superior.

Para se tomar a decisão de parar de alimentar-se de elementos sólidos, é preciso muita consciência e visão, para que o processo possa ser realizado com absoluto êxito.

O alimento é hoje o causador de 90% dos casos de morte por doenças, velhice e esgotamento físico. Os seres humanos estão a cada dia ingerindo mais e mais venenos químicos, sem ter consciência do que estão fazendo com seu próprio corpo e consequentemente com a própria vida.

O Processo dos 21 dias foi elaborado pela australiana Jasmuheen, há cerca de 10 anos . Jasmuheen, depois de pesquisar e estudar a influência dos alimentos na vida humana, recebeu a autorização espiritual para ensinar às pessoas mais conscientes, como se reconectar com seu Eu Superior através de uma reprogramação física, energética, mental e espiritual.

Hoje, está mais simples e mais fácil de se realizar o processo não alimentar, devido ao grande número de pessoas no mundo que já passaram por essa incrível experiência, e estão auxiliando com seus relatos. Há dez anos atrás, Jasmuheen estava praticamente sozinha neste trabalho e por isso, ela decidiu por colocar alguns obstáculos que impedissem que pessoas física e emocionalmente despreparadas tentassem realizar a reprogramação sem ter consciência do que isso significa em termos de futuro e de vida pessoal. Fazer o processo atualmente é apenas uma questão da pessoa interessada informar-se corretamente. As informações necessárias para essa experiência pessoal, já estão disponíveis de diversas formas, inclusive através da mídia alternativa (no site vivendodaluz.com existem várias matérias sobre o tema).

Esse processo de reprogramação alimentar foi dividido em 3 grupos de 7 dias, totalizando um programa de 21 dias, que começa com a decisão interna de parar de comer.

Essa decisão pode ser tomada de diversas diferentes maneiras:

Ir parando aos poucos (quando a pessoa gradativamente reduz a alimentação, cortando os alimentos mais pesados)
Aplicando jejuns alternados (conforme indicado no artigo chamado Jejum Racional escrito por Serena Harris, que esta no link artigos do site vivendodaluz.com).
Entrando numa dieta à base de frutas ( dieta liberada de frutas, castanhas e sementes de frutas, frutas secas e sucos, sem horários de refeições).
Parando completamente a alimentação com uma data marcada (neste caso a pessoa precisa estar 100% consciente de sua decisão radical).
Seja qual for a forma que a pessoa realize a sua preparação pessoal para a desintoxicação, ao entrar no processo ela deve estar completamente segura de si, munida de informações e conectada com o seu Eu Superior.

Aconselhamos a leitura do livro Viver de Luz - Editora Aquariana - Jasmuheen e o estudo de todo o site Vivendodaluz.com

É fundamental que a pessoa saiba que estará realizando uma diferente, estranha e muitas vezes dolorosa experiência física.

Estamos falando de uma reprogramação orgânica, onde um sistema (sistema digestivo) será em parte desativado e outro sistema (endócrino) será ativado.

O objetivo do processo é fazer com que a pessoa se torne apta a viver da captação da energia cósmica, ao invés de viver da ingestão de elementos sólidos (comida).

O PROCESSO
Tomada a decisão consciente de realizar o processo dos 21 dias, a pessoa deve então marcar uma data para o início da sua reprogramação. Aconselhamos que seja dedicada toda atenção e energia para os primeiros 7 dias do processo, que são os mais difíceis de serem superados.

PRIMEIRA SEMANA - 7 DIAS
Nesta primeira semana, a pessoa retira de seu organismo a entrada de QUALQUER tipo de elemento externo, incluindo todo tipo de líquido, inclusive água.

Chamamos a primeira semana de TRAVESSIA DO DESERTO INTERNO. Nestes 7 dias iniciais, a desintoxicação começa com uma parada radical do sistema digestivo, forçando, em nível mental e energético, a maior atividade das glândulas pineal e pituitária.

Nesta primeira semana, a pessoa normalmente se sente fraca, poderá ter dores de cabeça e sensações físicas desagradáveis. Não se esqueça de que estamos tratando de uma desintoxicação orgânica alimentar e por isso as reações físicas podem ser diversas, dependendo do nível e do grau de toxinas que estiverem acumuladas em seu organismo.

Aconselhamos paz, tranqüilidade, silencio, controle mental e físico, consciência e sabedoria para administrar o corpo e a mente, durante essa primeira semana.

Procure meditar, tomar muitos banhos, ler livros iniciatórios (aconselhamos alguns no link literatura do site vivendodaluz.com), fale com alguém somente o extremamente necessário. Evite assistir televisão e nem leia jornais. Quanto mais afastado estiver do estresse do mundo, melhor será essa travessia interna. Caso a pessoa decida fazer o processo mantendo o ritmo normal de trabalho, estudo ou afazeres domésticos, esta deve ter consciência de que será mais difícil e complicado atravessar o deserto da sede, porem não impossível, podendo ser feito se a pessoa assim determinar.

Pode ser que aconteçam projeções astrais, revelações em sonhos, sensações físicas estranhas e sentimentos mentais fora do comum.

O contato com o eu Superior ajudará na decisão de prosseguir ou não com o processo da travessia do deserto. Se o nível de dificuldades for muito grande e a pessoa não se sentir apta em continuar, bastará beber água, para que tudo volte imediatamente ao normal.

Muitos realizaram essa primeira fase em apenas 3, 4, 5, ou 6 dias. Essa decisão não invalidará o restante do processo, se a pessoa continuar sem ingerir alimentos sólidos.

SEGUNDA SEMANA - 7 DIAS
Superada a fase mais difícil do processo, na segunda semana a pessoa encontra o Oásis da Vida que é a água.

Quando a água e os líquidos voltam para o organismo, esses agora assumem a função de ajudar na limpeza orgânica... quanto mais água e sucos diluídos a pessoa beber, melhor será para a eliminação das toxinas do corpo.

Aconselhamos no mínimo 1 litro e meio de líquidos (água, água de coco e sucos naturais diluídos), quantas vezes a pessoa sentir vontade.

Nesta segunda semana, o organismo ainda estará um pouco enfraquecido devido a mudança orgânica que está sendo feita, e por isso alguns cuidados físicos serão de grande valor. Aconselhamos : caminhadas ao ar livre pela manhã ou final de tarde (em locais onde o ar seja menos poluído), exercícios respiratórios (os que melhor lhe convierem), captação da energia solar (tirando os óculos escuros e deixando que a luz do sol entre em seu cérebro através do canal da visão), exercícios de yoga (ou outro exercício físico energético que melhor lhe convier), vídeos de comédia (para distrair a mente) , e paz interior e muita meditação durante o maior tempo possível.

Nesta segunda fase, o corpo ainda estará se readaptando ao novo sistema vital que foi reativado na primeira semana e por isso as sensações mentais, energéticas, físicas e espirituais ainda poderão ser estranhas e algumas vezes assustadoras. Mantenha o amor no topo de sua energia e a confiança acima de sua mente para que o medo, a insegurança e a opinião alheia não tenham poder para interromper o seu processo.

TERCEIRA SEMANA - 7 DIAS
Na terceira semana, a sensação de fome e de fraqueza praticamente não existirão mais para você. Você começará a se sentir bem e seus sentidos (olfato, tato, visão, audição e fala) estarão mais apurados e purificados. Seu sangue agora estará livre de praticamente todas as toxinas químicas e maléficas que foram causadas pelos alimentos, e a sua mente estará mais desperta, livre e raciocinando com mais velocidade e inteligência. Os líquidos continuam liberados e podem ser bebidos quantas vezes a pessoa quiser durante esta última semana, mas agora os sucos de frutas podem ser mais concentrados. O líquido continuará funcionando como um limpador sangüíneo e diluidor dos tóxicos no organismo.

Ao terminar essa terceira e última semana do processo, a pessoa estará totalmente livre dos conceitos sociais e médicos sobre a necessidade da comida na vida no ser humano. Após entender na prática que esta informação de nossa civilização está equivocada em todos os aspectos, a pessoa que passou pelo processo dos 21 dias e já reprogramou seu organismo para viver dos elementos cósmicos (luz, água e ar), saberá que está livre para não mais depender de comida para ter uma vida saudável, próspera e feliz.

Ao terminar o processo dos 21 dias, essa pessoa, agora reprogramada, poderá ingerir os elementos externos que quiser, e somente se quiser e quando quiser, pois não é mais escrava da necessidade de ter que comer para viver.

A comida então, antes uma necessidade vital, agora muda de sentido e passa a ser apenas e simplesmente um prazer bucal e mental e não mais uma obrigação vital orgânica.

Muitos que passam pelo processo, decidem por voltar a ingerir “coisinhas” esporadicamente, mas aprendem a realizar todo o processo de digestão na boca (usando a mastigação e a salivação), e não mais no estômago como fazia antes do processo. Nenhuma volta a se entupir de venenos novamente ou a ter uma rotina alimentar de 4 refeições diárias. Com o processo o habito alimentar é completamente quebrado.

Ingerir prazeres externos não é crime, mas envenenar-se inconscientemente 4 vezes por dia (ou mais) é fatal!

Morremos por que assassinamos as nossas células com a imensa quantidade de veneno que ingerimos todos os dias por anos e anos e anos de nossas vidas.

Aconselhamos para as pessoas que estão interessadas em estudar mais sobre essa estranha mas real e verdadeira realidade de vida, que comecem esclarecendo as questões que ainda estão pendentes, estudando o site vivendodaluz.com - link pessoas.

No link Evelyn, existe uma série de perguntas e respostas, onde você encontrará o esclarecimento de muitas questões importantes.

Lembre-se conscientemente que você e apenas você pode ser responsável por suas decisões na vida e por suas realizações pessoais. Sua VIDA pertence somente a você e a mais ninguém, por isso somente VOCE pode saber o que é melhor para você mesmo.

Sua conexão com o seu Eu Superior é fundamental na decisão de realizar essa reprogramação pessoal.

Estamos mudando de dimensão... desintenssificando a carne e livrando a mente e o corpo de tantas dependências físicas e vícios de vida que nossa sociedade vem nos impondo, desde quando nascemos.

Para os estudiosos mais afincos, aconselhamos a participação no fórum que foi aberto para que as pessoas possam trocar informações e relatar suas experiências no processo (site vivendodaluz), e também abrimos uma sala de aula virtual para que os grupos de estudos possam se relacionar mais diretamente entre si e debater com positivismo e grandiosidade o tema VIVER DE LUZ (nos escreva se quiser participar da sala).

Todos são capazes de realizar esse processo, mas somente os seres conscientes irão realizar essa reprogramação com o êxito de quem sabe que é um ser divino ,e por isso esta apto a viver da luz e dos elementos naturais que a luz condensa na Terra para nos humano.

Depois do processo descobrimos que somos livres para viver sem dependências externas e isso traz paz interior, alegria interna e muita felicidade social.

Saúde, Paz e Luz,

Evelyn


Jasmuheen e o Dr. Jeferson Camilo - parte 1 - 10 min.

 
Jasmuheen e o Dr. Jeferson Camilo - parte 2 - 9 min.

É Possível viver de Luz?
desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,
Australiana Ellen Greve (vulgo Jasmuheen)
Viver de Luz (Prana) é Possível?

Bem... para começar eu acho que devo logo no inicio informar a todas as pessoas que lerem esse artigo que eu Vivo de Luz, assim como estou informando nessa pagina em que estou (digamos) me “apresentando para o mundo”... [Clique aqui]. E isso não é brincadeira. Eu de fato passei pelo “Processo dos 21 dias”, e agora vivo exclusivamente de luz (ou seria “água e luz”? Explico mais a frente o por que desse questionamento...) a data exata em que eu comecei o processo foi em 27/08/2007 ás 18:00hs numa Segunda Feira, e escrevo isso em 29/05/2009 por tanto já faz mais de 1 ano e 9 meses que vivo exclusivamente de Luz (Prana).
O Livro da Australiana Ellen Greve (vulgo Jasmuheen) cujo titulo é:

desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,
Foto mais recente

“Viver de Luz” 

É na minha opinião de qualidade média... isso por que ela cita “Mestres Ascensos” e “Fraternidade Branca”, coisas que sinceramente falando eu não creio... não por que eu seja um materialista/Ateu, mas sim por que eu tenho as minhas memórias de vidas passadas ativadas (clique aqui para detalhes do assunto). E infelizmente para toda a turma do “movimento Nova Era” eu, e as pessoas que tem suas memórias ativadas pelo método o “Salto Quântico Genético” atestam que essa tal “Super organização de Iluminados” simplesmente não existe... Você não leu errado, eu realmente disse que não existe...

desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,
Capa da primeira edição do "Viver de Luz" em Inglês

Mais sobre Fraternidade Branca (Clique Aqui). Porém aqui nesse artigo vamos nos concentrar apenas na questão sobre “Viver de Luz”. Bem... mas mesmo invocando essas “forças mitológicas” e escrevendo que a técnica “dos 21 dias” foi transmitida (por psicografia) pelo “Mestre Ascencionado Serápis Bey”, e ela própria dizendo que psicografa livros dos “Mestres”...a verdade é que o tal processo dá certo.

E a minha explicação do por que dá certo é a seguinte:

Para você poder passar pelos 21 dias e Viver de Luz daí em diante, é necessário que tenha uma forte ligação com seu próprio “Eu Superior” que também podemos chamar de Centelha Divina, ou Supraconsciencia, a suprema consciência, que é a porção do criador primeiro do universo que levamos em nosso interior, e que aliás é o que somos em essência, isto é Deuses co-criadores. Eu sei por experiência própria que quem faz “O Salto” consegue passar a Viver de Luz com muito mais facilidade, o segredo? Vamos a ele:
desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,
Jasmuheen acredita em "Fraternidade Branca" e "Mestres Ascensos"

No livro Jasmuheen diz que para ter sucesso é necessário que a pessoa já seja vegetariana por pelo menos um ano antes de passar pelo processo, e ela ainda recomenda que as pessoas se preparem cuidadosamente para o “processo” diminuindo a ingestão de alimentos sólidos a ponto de estar só na sopa meses antes de começar os 21 dias existe até um “programa alemão” que ela cita no livro (edição revisada e ampliada) em que as pessoas se preparam por 5 longos anos. Ela ainda diz que é altamente prejudicial (para passar pelos 21 dias) a ingestão de Carne (Qualquer dos tipos), e recomenda que as pessoas que forem tentar os 21 dias se afaste radicalmente de qualquer tipo de carne meses antes de tentar. Porém... eu tinha comido Carne de Churrasco o dia inteiro justamente no dia que comecei o Processo dos 21 dias!

desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,
Capa do livro "Viver de Luz" atualmente a venda no Brasil, editora Aquariana 

Sempre comi carne a vida toda e minhas refeições sempre giravam em torno do trio: “Arroz, Feijão e Carne” principalmente a vermelha. E ainda para piorar o meu tipo sanguíneo é 'O' negativo .O tipo “O” negativo é o pior tipo de sangue que você pode ter para poder Viver de Luz... por que? Por que é um sangue que exige o Consumo de Carne, esse sangue que é especial (numa transfusão não é rejeitado por nenhum dos outros tipos) é, pelo que se sabe, o tipo “mais antigo” que existe na Raça Humana, os outros tipos se originaram dele através dos tempos por meios naturais (ou não... se você é daqueles que acredita na intervenção Extraterrestre na Genética humana assim como eu) é portanto o “sangue dos caçadores”, dos primitivos que em épocas recuadas (milhares de anos) viviam de caças em vez da agricultura, e por isso seu “biótipo” é mais para a carne do que para os grãos.

desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,
Ellen Greve era vegetariana radical, nem leite bebia, por ser de origem animal


                                                            Outras Desvantagens que eu Tinha:                                                      

Eu também sou (por causa de disposição Genética) um tipo de “anorexo” de nascença, meu IMC (índice de massa corpórea) é de apenas 15,8 sendo que para a minha altura o certo seria 22 (homem magro). Deixando claro que esse era o meu peso antes de fazer o processo dos 21 dias (ele não mudou desde então), eu ‘puxei’ a genética de meu Avô paterno, por ter essa desvantagem Genética o meu corpo não absorvia gordura, e também era ineficiente para absorção de vitaminas e sais minerais.

Resultado... Eu tinha vários sintomas de desnutrição, tais como:

(1): Manchas brancas nas unhas (indica falta de Zinco ou Selênio, [e talvez os dois] no sangue) (2): Fios de cabelo branco mesmo tendo pouca idade (indica deficiência de vitamina B no sangue) (3): Dormia em média 9 horas todos os dias (o corpo tem tendência de diminuir a atividade para compensar a falta de nutrientes) (4): Pouca energia para trabalhar (naturalmente me cansava rápido) (5): Pouco fôlego para agüentar uma corrida mais longa. (6): Raciocínio lento, memória fraca (logicamente a deficiência de vitaminas e nutrientes causa diminuição da capacidade cerebral) (7): QI (Coeficiente de Inteligência) insatisfatório. (8): Capacidade imunológica fraca contra gripes e infecções (deficiência de nutrientes prejudica defesas naturais do corpo).

Assim como podem perceber, eu era realmente um anorexo, me lembro de ter acontecido varias vezes de eu, apenas por ficar sem uma das três refeições diárias, ter de ir correndo para o hospital levar soro na veia, pois o meu corpo trabalhava no limite, qualquer diferença no horário das refeições, ou mudança mais brusca no cardápio (tal como, por exemplo, comer um hambúrguer em vez de um prato de feijão e arroz) já era suficiente para me dar aquela característica dor de cabeça de desnutrição, e ânsias de vomito que só passavam quando a desidratação era resolvida com o Soro fisiológico. Acredito até que se a Jasmuheen fosse consultada para avaliar se eu estava ou não apto para passar pelos 21 dias, ela CERTAMENTE diria que não. E que eu deveria desistir dessa empreitada definitivamente, ou pelo menos me preparar por uns 4 ou 5 anos até ser avaliado novamente, o que não seria uma garantia de aprovação da parte dela...

desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,

Creio que Jasmuheen não aprovaria a minha tentativa de passar pelos 21 dias

Então como podem notar “tudo estava contra mim” nessa empreitada para Viver de Luz... e no entanto passar pelo processo dos 21 dias foi algo assim... relativamente fácil. Digo “relativamente” por que eu estarei mentindo se disser que não sofri, eu sofri sim, mas foi algo suportável, além disso eu continuei trabalhando enquanto passava pelos 21 dias, coisa que a Jasmuheen não ousou fazer. Ela fez um retiro espiritual radical onde ficou afastada da civilização por todo o período, algo aliás que ela recomenda que todos façam. Tá ai mais um ponto “contra” mim... e apesar disso eu tive sucesso! A Jasmuheen (segundo ela mesma diz no livro) já tinha mais de 15 anos de dedicação a Meditação Transcendental e era uma vegetariana radical. Então notem a diferença do processo dela e o meu, por que eu tive sucesso? E até mais facilmente do que ela?

desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,
Jasmuheen já tinha mais de 15 anos de dedicação a  Meditação Transcendental

O motivo segundo eu entendo (e não tem melhor pessoa para falar disso do que eu mesmo, Rsrsrs!!) é por que eu passei pelo “Salto Quântico Genético”. Essa Iniciação de Desbloqueio dos Potenciais da Mente e ativação da ligação com o “Eu Superior” possibilita a pessoa submetida a ter acesso direto e efetivo com sua centelha divina, e o “Segredo” para se Viver de Luz é ter o contado com seu “Eu Maior” forte e firme. Pois na verdade é “Ele” que vai modificar o seu corpo físico e ativar os potenciais inerentes da genética humana (o chamado DNA Lixo na verdade não é lixo coisa nenhuma, ali tem potencias especiais do corpo humano que se encontram inativos) a pessoa então se tornará auto-moto-continuo e vai se abastecer do Prana diretamente (que também é chamado de: "luz", "energia universal", "Ki", "Chi", "Energia Cósmica", "Orgônio", "Energia Vital", "Aywara", etc... )

Caso seu “Eu Maior” não estiver bem “ancorado” então não adianta você se preparar por meses, anos, décadas... você não vai conseguir Viver de Luz. Eu entendo que o fator principal para poder Viver de Luz é o “Eu Maior” (SupraConsciência, como gosto de chamar) na falta dele pode até ser “verdade” que “mentores espirituais” venham ao auxilio do candidato a Respiradoriano(a), mas eu não sei não... a minha experiência foi outra... A maior divulgadora do Viver de Luz no Brasil é a Evelyn Levy Torrence, uma escritora e Filósofa Metafísica (assim como eu), ela ficou muito conhecida depois que apareceu numa entrevista no programa Jô Soares onde contava como é Viver de Luz.

 desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,desafio paranormal, força da mente, inédia, jasmuheen, livro viver de luz, mistério, não comer, não precisa comer, praniano, viver de luz,oberon,oberom,vivendo de luz,sem precisar comer,sem comida,sem se alimentar,não se alimenta,

Jasmuheen talvez não saiba, mas eu acredito que para viver de luz basta ter uma forte ligação com o seu “Eu Maior”(centelha divina) não é necessário "intervenções" externas.

Essa entrevista podia ser vista na internet (via site da autora), mas quando eu estava pesquisando para fazer essa matéria eu verifiquei que o site “Viver de Luz” da Evelyn não estava online... por que será? (atualizando: 28/05/2009, o site estava em manutenção, mas já voltou a ativa).


Jejum Curativo - 24 min.




Higienismo  Limpando o organismo
Alimentação inteligente, atividade física, dormir bastante e ter contato harmonioso com as pessoas e com a natureza. Este é o princípio básico do higienismo, uma verdadeira doutrina que tem como objetivo "limpar" o organismo, dando bem estar e qualidade de vida para seus seguidores.

Tânia Alves é referência no assunto. "Há sete anos sigo o programa higienista que é uma verdadeira filosofia de vida", conta a atriz que introduziu a prática também em seu spa, o Maria Bonita, em Friburgo, no Rio de Janeiro". O higienismo resgata concepções esquecidas com o barulho dos dias modernos.

Tânia explica que o sistema foi criado por médicos americanos a partir de descobertas que culminaram com o avanço da Biologia no século passado. Do inglês "Natural Hygiene", é, por definição, uma ciência de saúde que respeita as leis naturais, ou, os processos físicos e químicos que regem o funcionamento do corpo humano, mantendo ativo seu incrível poder de construção e regeneração.

"Como é de cunho essencialmente científico, trata-se de um sistema dinâmico que vem incorporando desde a sua criação, todas as novas descobertas a respeito de Saúde, Nutrição, Ecologia e Qualidade de Vida em geral, ajudando assim, a transformar a vida de milhões de pessoas", conta a atriz.

Essas novas informações são discutidas e difundidas todos os anos em Congressos Internacionais organizados pela Natural Health Association, sociedade americana da qual Tânia Alves é membro e aonde sempre recicla seus conhecimentos para aplicar no Spa Maria Bonita e em suas palestras.

O higienismo prevê também uma mudança alimentar. São cinco os princípios básicos: comer 70% dos alimentos crus; evitar ou eliminar comidas que produzam toxinas; respeitar as etapas do processo digestivo, que tem a ver com os horários de funcionamento do organismo; combinar os alimentos corretamente; não se alimentar em excesso.

Tânia entende que a comida funciona como o combustível para a vida. "Não é comer muito e descontar outras frustrações na alimentação. É ter prazer em comer para se alimentar. Os outros problemas resolvemos e descontamos de outras maneiras."

Respeitando os horários de funcionamento do corpo, a atriz acredita que consegue obter mais energia para o dia-a-dia. "Até o meio-dia só como frutas. Por isso tenho uma disposição de leão. Se você come aqueles cafés com muita informação, o organismo perde muito tempo para processar esses alimentos e gasta muita energia também. É o que o programa chama de alimentação inteligente, que respeita as necessidades e os limites do organismo".

No higienismo é preciso respeitar os horários determinados. Das quatro horas da manhã ao meio dia é o horário da Eliminação, quando só frutas são permitidas. Neste período o organismo se livra os resíduos não aproveitados do ciclo anterior e outras sobras das funções metabólicas.

Entre meio dia e oito horas da noite é chamado de Ingestão. Almoço, lanche e jantar devem estar presentes aí. Das oito da noite até as quatro da manhã não se deve comer nada. É neste período que o corpo está assimilando todos os nutrientes e informações do dia.

Mas existem outros pontos fundamentais para uma existência harmônica do ser humano segundo os preceitos do higienismo. "Dormir bem e bastante é fundamental", explica Tânia Alves. "Durante o sono profundo é que tudo se processa. É quando o organismo recebe as informações que mandamos para ele durante todo o dia".

Fazer uma atividade física. "Por todos os motivos que já conhecemos. Dá força, resistência, ajuda no sono e na maneira como encaramos e resolvemos os problemas, faz com que você consiga lidar melhor com os desafios que a vida impõem".

Bem alimentado, descansado e com o corpo bem cuidado, resta o último passo que, segundo a atriz, é a receita da juventude e saúde: bom humor. "Ter uma atitude positiva, resgatar o entusiasmo de uma criança e estar sempre aberto para o novo. Ter contato com a natureza sempre, de onde vem o real poder e a vitalidade. Estar sempre em movimento e sintonia com as forças que vêm através da natureza e suas manifestações".

Jejum Intermitente - 14 min.

Vida de LUZ

Wednesday, August 11, 2004

Jejum- Preparação

"Desde a mais remota antiguidade, o jejum foi utilizado por médicos e sacerdotes como meio de purificação do corpo e da alma. Os livros sagrados de todas as religiões recomendam-no para atingir a elevação espiritual e o domínio dos sentidos. A medicina antiga reconhecia no jejum o método mais eficaz para livrar o corpo de suas manifestações mórbidas através de seus próprios recursos auto-regeneradores.

O jejum é a abstinência voluntária

 de todo o alimento sólido, exceto da água, sucos verdes, chás e caldos desintoxicantes, durante um período mais ou menos longo. A terapêutica natural do jejum faz parte da natureza instintiva dos animais, inclusive do homem. Observando o comportamento dos animais, concluímos que estes recusam toda a alimentação quando se sentem doentes ou feridos, nervosos ou excitados. Na verdade, se acontece a um animal faminto de ser irritado durante a sua refeição ele cessará de comer. 

Os animais irritados não voltam a comer antes de se terem acalmado. Todos conhecem também os casos comuns de cães abatidos pela ausência ou morte de seus donos e que se recusam a comer durante longos períodos. Na espécie humana, em geral, a doença acarreta uma conseqüente inapetência, principalmente em presença de febre e processos inflamatórios. Este instinto infalível anuncia que o suco gástrico secretado é insuficiente para assegurar a digestão, compondo-se de pouco ácido e muito muco. Ao mesmo tempo, cessam os movimentos musculares do estômago. 


A secura da boca durante a febre é acompanhada de secura de todo o tubo digestivo, que é incapaz de realizar absorção. Esta situação pode durar um ou vários dias, mas o jejum espontâneo deve ser respeitado até que o organismo esteja restabelecido e o paciente demonstre desejo de comer. O mesmo sucede em caso de profundo envolvimento emocional, tristeza e aflição, quando a perda do apetite é total. 


Em tais condições, as únicas fontes possíveis de alimentação são as reservas internas do organismo. Em cada espécie, varia o tempo e a quantidade de perdas que podem ser suportadas sem perigo para estrutura vital, mas não há qualquer risco de deterioração ou morte antes que uma grande percentagem do peso do corpo tenha sido perdida. O homem mantido em condições de repouso, calor, ar puro, água e equilíbrio emocional, podem resistir em jejum por mais de cinqüenta dias. O tempo exato depende das condições físicas do paciente. 


Algumas clínicas especializadas na Europa e Estados Unidos estabelecem vinte e um dias como período médio de cura, mas muitos especialistas levam o jejum até a completa limpeza da língua e a volta da fome fisiológica,quer sejam necessários quarenta, sessenta ou setenta dias. Os jejuns de longa duração, principalmente para pessoas inexperientes, só devem ser tentados sob assistência médica numa clínica especializada. No entanto, não há nenhum inconveniente, e recomenda-se até jejuns de curta duração, que podem ser realizadas em casa, sem nenhum perigo ou risco, desde que sejam observadas certas regras básicas. 


Autólise ou Autofagia 

Os tecidos vitais ou funcionais do organismo que jejua são nutridos pelas reservas acumuladas no corpo. Estas reservas estão estocadas sob a forma de substâncias completas como o açúcar (glicogênio), gorduras, proteínas, etc. Antes de poder ser utilizadas pelas células, estas substâncias devem ser auto digeridas por fermentos (enzimas), produzidos dentro das próprias células.

 A este fenômeno dá-se o nome de autólise, palavra grega que significa literalmente, perda de si mesmo.Um certo número de enzimas autolíticas, responsáveis por esta transformação, formam-se constantemente dentro de certos tecidos vivos e normalmente desempenham o papel de tornar possível a assimilação no metabolismo celular. O corpo exerce um rigoroso controle sobre o processo de autólise: durante o jejum, os tecidos são perdidos na razão inversa de sua utilidade; as gorduras e excreções mórbidas desaparecem em primeiro lugar. 


Assim, sucessivamente, todas as reservas nutritivas são auto digeridas e distribuídas pelo sangue aos tecidos nobres do corpo - sistema nervoso, cérebro, coração, pulmões e ossos - a fim de assegurar a continuação das funções vitais e a sobrevivência do organismo. 


O aumento da circulação na área doente pode ter a função de acelerar a cicatrização ou consolidação da fratura pela concentração de substâncias nutritivas ou, ao contrário, aumentar a autólise naquela área para destruir o tecido ou excrescência mórbida.A autólise faz parte do funcionamento normal do organismo e manifesta-se em diversas fases da vida. No início do desenvolvimento embrionário, o novo ser alimenta-se digerindo por autólise as reservas nutritivas do ovo. 


Podemos citar, ainda, a atrofia das glândulas mamárias após o período de lactação, a atrofia do útero depois do parto e a atrofia do timo na puberdade.Os especialistas em jejum afirmam que todas as excrescências mórbidas possuem uma menor vitalidade que os tecidos normais e que, consequentemente, são destruídas com maior facilidade. Isto explica-se também pela sua menor ligação com o organismo, sendo deficientes em ramificações nervosas e circulação sanguínea. 


Longas experiências com o jejum indicam que os tecidos anormais são desintegrados e eliminados mais rapidamente que os tecidos normais. 


A absorção e eliminação de tumores - malignos e benignos - têm sido objetivo de muitos jejuns, empreendidos com pleno êxito. A rapidez com que o processo realiza-se depende de uma série de variáveis como a idade do paciente, local do tumor, seu aspecto e gênero, estado geral de saúde, etc. Casos diversos de reabsorção de tumores até do tamanho de laranjas grandes são relatados por todos os especialistas em jejum. 


Indicações do Jejum 

O corpo tem um grande estoque de reservas nutritivas a serem empregadas em caso de necessidade e que podem ser utilizadas com maior facilidade e com menor dispêndio por parte do corpo do que com a alimentação assegurada pelo laborioso processo da digestão.De grande importância é o repouso assegurado pelo jejum a todo o organismo. A estimulação excessiva das funções fisiológicas que resulta da superalimentação enfraquece e sobrecarrega. O jejum permite aos órgãos que se restabeleçam. 

Um jejum significa para os órgãos do corpo o mesmo que uma noite de repouso completa para um trabalhador fatigado. A digestão e assimilação dos alimentos põem os poderes vitais do organismo à prova e aumentam o trabalho do estômago, do fígado, dos intestinos, do coração, dos pulmões, dos rins, etc. Esta sobrecarga refere-se ao hábito de comer em demasia, comum à nossa civilização.


 Como podemos auxiliar o doente aumentando o trabalho desses órgãos? 

Se a alimentação não impede a doença, como o seu excesso vai curá-lo?

Nos estados de febre ( 37 graus) e inflamação, a inapetência visa aliviar o organismo do seu trabalho de digestão e assimilação, facilitando o trabalho do coração e economizando energia nervosa para recuperar-se.O Dr. Dewey, autoridade em jejum mundialmente reconhecida, diz que


 "Referia-se ao repouso fisiológico do jejum".

Somente o sistema de eliminação não descansa durante o jejum. Durante este período, a eliminação aumenta por todas as vias de excreção do corpo. No início do jejum, produz-se um aumento temporário de eliminação em relação aos níveis normais, logo após desce a níveis bem baixos e aproximam-se da quantidade exata em relação com o verdadeiro desgaste do corpo. A maior parte das substâncias excretadas pelo cólon diariamente, antes do jejum, são devidas a uma porção alimentar muito superior às necessidades reais do organismo. Assim que esse excesso é excretado, restabelece-se o nível normal.

O tubo digestivo extrai dos alimentos ingeridos as matérias necessárias à reconstrução do organismo que funciona, normalmente, no sentido de absorver estes elementos. Mas durante o jejum, quando o tubo digestivo está completamente vazio, isto é, depois de 24 a 48 horas, o funcionamento é revertido e a eliminação efetua-se também através da mucosa intestinal. 


Depois de vários dias de jejum pode-se observar, eventualmente, a eliminação de fezes negras e fétidas que representam a soma de matéria indesejável que o corpo rejeita. O organismo purifica-se em profundidade, liberando as forças auto-curativas que o corpo possui e que estavam entravadas pelas presença de toxinas. Uma grande fonte de toxinas é a decomposição dos alimentos dentro do canal digestivo. Basta uma semana de jejum para fazer desaparecer todos os gérmens do estômago e todos os gérmens e bactérias do intestino delgado.


Quem jejua vive da mesma substância, quando jejua ou quando come. 

A diferença é que, quando come, acumula um estoque de reservas nutritivas cada dia, enquanto que durante o jejum consome-se gradualmente. Quem jejua vive às expensas das porções do seu corpo que representam alimento acumulado e não sobre seus tecidos vitais ou funcionais.A crença popular de que, imediatamente após a interrupção das refeições, o sangue e as estruturas sólidas do corpo enfraquecem e que a destruição orgânica começa é absolutamente infundada.

Durante o jejum, a massa total do corpo diminui, a fim de manter a integridade dos órgãos vitais. Os tumores, aderências, infiltrações e gorduras são absorvidos e empregados para sustentar outros órgãos mais importantes. Estando dispensado do penoso trabalho da digestão, o corpo ocupa-se em fazer uma limpeza a fundo do organismo. 


O emagrecimento liberta o corpo de materiais inertes, livrando-o de uma carga inútil. Representa também uma economia, reduzindo o trabalho nutritivo do corpo, de forma a poder realizá-lo sem desgastar os órgãos vitais. O sistema nervoso, durante o jejum, torna-se relativamente mais forte que normalmente e a sua sensibilidade aumenta. Por esta razão, as reações do corpo em relação às drogas e aos medicamentos são mais rápidas e mais fortes. Deve ser interrompida, desde o início do jejum, a ingestão de quaisquer medicamentos ou drogas, a fim de evitar reações abruptas e imprevisíveis. 


Rejuvenescimento 

Experiências comprovam que o jejum rejuvenesce, e isto pode ser explicado da seguinte maneira: as células diminuem de tamanho ao digerir, por autólise, os elementos dispensáveis. O núcleo celular, ao contrário, perde muito pouco de seu volume habitual, tornando-se relativamente maior que o resto da célula. 

Esta condição é característica de uma célula jovem e a sua capacidade de assimilação e crescimento é a mesma que caracteriza as células dos embriões. Isto explica a recuperação rápida dos tecidos após o jejum, além de ativar o seu poder de reprodução ou sua atividade fisiológica. É evidente que, um vez reduzido o peso inicial do indivíduo numa certa percentagem e em seguida restaurado pela dieta normal, essa percentagem do corpo restaurado compõe-se de protoplasma novo. 


E é importante notar que a recuperação é feita através de uma alimentação mais sadia, portanto, formando tecidos em melhores condições do que aqueles que foram anteriormente auto lisados. Esta renovação pode ser feita por etapas, repetindo-se um jejum ritmado, ou em apenas um jejum prolongado.Uma vez que o jejum eliminou as toxinas acumuladas e as células desvitalizadas, um tecido são, mais forte e mais vivo forma-se, para substituir aquele que foi rejeitado. 


A cura pelo jejum 

O que chamamos comumente doença é uma manifestação localizada proveniente de um desequilíbrio oculto do organismo, cuja causa é desconhecida na maioria das vezes. A tosse, o vômito, a diarreia e a inflamação são reações ativas do organismo para livrar-se da causa que nos escapa e não a doença em si. Querer curar estes sintomas, menosprezando a causa, é conservar o inimigo à espreita dentro de si.

O jejum não cura doença, nem preocupa-se diretamente com os seus sintomas. Seu papel é o de conceder ao corpo condições de repouso e força para combater a causa oculta e eliminá-la. 


O jejum não é um tratamento. 

Convenientemente conduzido, é uma maneira rápida, segura e sadia de descarregar um excesso de toxinas, mas a cura é um processo fisiológico que se opera espontaneamente, quando as toxinas são eliminadas e a alimentação torna-se racional. Os hábitos pessoais exercem um papel tão importante quanto os excessos alimentares. As preocupações, a tensão e as emoções negativas também devem ser evitadas.

Em alguns casos um dos primeiros sinais da doença é a perda de apetite. Na verdade, o apetite desaparece alguns dias antes que se declarem outros sintomas. Mas se a doença manifesta-se de repente, quando o estômago está cheio, este esvazia-se imediatamente através do vômito. A doença aguda não suporta alimentos, mas apenas água. Na doença crônica, a quantidade de alimentos ingeridos deve ser bem menor que no período de saúde. 


PREPARAÇÃO PARA O JEJUM 

A preparação ao jejum é um processo relativamente lento, uma vez que se trata de uma ideia nova que contraria arraigados preconceitos e significa uma brusca alteração do ritmo fisiológico.O papel da psique em práticas como o jejum, que envolvem a atividade vital como um todo, não pode ser subestimado. Este processo de desintoxicação autógena só pode ser empreendido com o desejo expresso do praticante e sua absoluta convicção de que o método lhe será benéfico. O praticante deve munir-se de boas informações sobre o assunto e manter esse material à mão durante a prática, para evitar o desânimo e a desistência.

 O caso de pessoas que morreram <<>> após jejum compulsório de pequena duração, é perfeitamente explicável pelo aspecto psicológico da questão: essas pessoas morreram de MEDO de morrer de fome. O pensamento é uma força viva e concreta que pode operar milagres ou mostrar-se nefasto, destrutivo. A confiança total no método facilita a consecução de um estado de paz mental e relaxação física, indispensáveis nesta fase.


A preparação fisiológica consiste em habituar-se a saltar uma refeição uma vez por semana, depois um jejum de 24 horas no mesmo ritmo, e ir aumentando gradualmente. 


O jejum de curta duração ritmado foi utilizado com excelentes resultados, conjugado à renovação dos hábitos alimentares.O jejum de 24 horas, uma vez por semana, dispensa um certo repouso ao organismo sem desencadear o processo de autólise, no entanto. Uma vez escolhido o dia da semana, não modificá-lo, a fim de manter o ritmo durante várias semanas. O ritmo mais fácil é o de abolir toda a alimentação entre dois almoços. Seguem-se 24 horas de alimentação exclusivamente frutívora. Pode ser o ritmo habitual para intelectuais com pouca atividade física. Aliás, é perfeitamente possível viver num ritmo de trabalho normal com apenas uma refeição diária.


O ritmo de 4 a 5 dias de jejum, uma vez por mês ou na mudança das estações, é excelente para conseguir uma renovação permanente dos tecidos. Deve ser seguidos obrigatoriamente de regime especial de frutas, verduras e legumes durante dois dias ou, idealmente, pela mesma duração do jejum.


O jejum prolongado, de 7 a 10 dias, pode ser feito em casa por pessoas que já tiveram alguma prática em períodos menores. Não deve ser repetido mais de uma vez por ano.Aqueles que buscam, através da reconquista de saúde, vitalidade exuberante a realidade espiritual prometida por todas as religiões, verificará, após três ou quatro dias de jejum, que o espírito torna-se mais lúcido e ativo e a intuição desenvolve-se progressivamente. 


Condições do Jejum 

Aquele que se predispõe a fazer um jejum de mais de 48 horas deve ter condições de repousar sempre que sentir necessidade. Assim, as atividades normais nem sempre podem ser mantidas durante o jejum prolongado.Nos dias anteriores ao do inicio do jejum, deve-se diminuir o volume da alimentação normal, especialmente o da última refeição, a qual deve ser composta exclusivamente de frutas, saladas ou sopas leves. 

Antes de deitar, tomar um laxante suave, conforme indicado abaixo. Se os intestinos funcionam normalmente bem, basta aplicar, na manhã seguinte, um clister de 250 gramas depois da evacuação matinal, para lavar o reto. Se não funcionam bem, deve ser ingerida durante 3 dias anteriores ao jejum, uma solução purgante natural:

- Caldo de ameixas (deixar as ameixas de molho por 8 horas) 
   Mamão, 1 colher de chá de tamarine. 
   Bater todos os ingredientes no liquidificador e tomar a noite e, em casos mais graves, pela manhã também. 

Pode-se também, em vez do purgante, fazer a prática de Shanka Prashalana 24 horas antes de começar o jejum (conforme orientação), observando-se durante este período a dieta adequada com pouco volume de carboidratos (sopa de verduras, frutas cozidas, ameixas pretas deixadas de molho por 12 horas), o que, além de produzir a limpeza ideal dos intestinos, facilita a eliminação durante o jejum. 


A limpeza intestinal é indispensável para o sucesso do jejum.


Durante o jejum, beber água à vontade e chá de ervas laxantes frequentemente. 


Pode-se utilizar ervas diuréticas e outras espécies. Os chás devem ser bebidos sem açúcar.Diariamente, à tarde, é facultada uma colher de chá de mel puro, caso sentir muita fraqueza. O mel é absorvido imediatamente, sem necessidade de digestão e sem deixar resíduos. 


Diariamente, pela manhã, aplicar clísteres de 250 gramas de água. Notar que a aplicação de clísteres deve fazer-se especialmente durante o período de dietas e jejum e nunca em volume superior a 250 gramas.Praticar diariamente exercícios de respiração para auxiliar a desintoxicação. 


Banhos de sol de curta duração são muito benéficos.

 As posturas da HATHA-YOGA devem ser escolhidas de forma a não fatigar o praticante, mas não devem ser dispensadas completamente. Às vezes, convém dividir a prática em duas sessões curtas diariamente.O praticante deve interromper suas atividades e repousar sempre que se sentir fraco ou cansado. Os exercícios para fortificação da cinta abdominal devem receber prioridade, tanto pela queima de tecidos gordurosos depositados nesta área, como para sustentação dos órgãos desta cavidade, principalmente em pessoas acima de 40 anos

MODIFICAÇÕES DO ORGANISMO DURANTE O JEJUM - SINTOMATOLOGIA 

É preciso ter sempre presente a diferença entre jejum - privação espontânea de qualquer alimentação sólida durante um período mais ou menos prolongado, durante o qual o corpo se nutre de suas reservas acumuladas e que termina com o aparecimento da fome fisiológica e inanição, que é o prosseguimento dessa abstenção depois de esgotadas as reservas, quando começam a manifestar-se sinais irreversíveis de destruição do organismo. 

O jejum praticado em casa não deve ultrapassar de 7 a 10 dias, no máximo, quando não oferece qualquer perigo. Um jejum prolongado por mais tempo só deve ser praticado sob a orientação direta de um orientador ou terapeuta especializado.A consequência mais evidente é a redução de peso durante o jejum e a cura de muitos pequenos problemas. O total de peso perdido diariamente varia de indivíduo para indivíduo, sendo a perda mais rápida no inicio. 


Os diversos tecidos e órgãos do corpo diferem muito em sua taxa de perda de peso durante o jejum. Ao invés de um esgotamento uniforme das reservas corporais, os órgãos biologicamente mais importantes são nutridos às expensas dos menos importantes.O sangue diminui de volume em proporção à diminuição do volume do corpo. No início do jejum, aumenta rapidamente o número de glóbulos vermelhos (hemácias) e de glóbulos brancos (leucócitos), tornando-se o sangue, portanto, mais rico. 


Em casos de anemia, mesmo perniciosa, a tendência é uma normalização na proporção de hemácias e leucócitos em jejuns de uma semana de duração. Isto é explicado pela mobilização das reservas de ferro do fígado e do baço.O equilíbrio químico de acidez e alcalinidade tende a ser restabelecido, embora nos primeiros dias possam ocorrer alterações devido às crises de desintoxicação. Essas alterações não significam nada mais que uma aceleração benéfica dos processos de eliminação e não devem ser motivo de preocupação. 


A tendência a uma leve acidose passageira que requer cuidados e observação médica só ocorre em jejuns de longa duração.


- Os ossos e os dentes não sofrem alterações durante o jejum. Podem mesmo continuar a crescer e reparar fraturas anteriores. Às vezes, o jejum provoca a queda de obturações, o que pode ser considerado, talvez, como o esforço da natureza para rejeitar um corpo estranho.


-O cérebro, a medula espinhal e os nervos não sofrem qualquer perda durante o jejum. 

- O cérebro funciona com maior lucidez e clareza e o trabalho intelectual é muito beneficiado depois do terceiro dia.
- As perdas dos rins e do pâncreas são insignificantes. 
- O baço diminui sensivelmente sua retenção normal de água.
- A eliminação pela pele aumenta durante o jejum, fazendo com que o suor seja mais concentrado e de odor desagradável. 

Às vezes, a secreção é abundante.Quando a língua aparece muito carregada de muco nos primeiros dias, é sinal de grande intoxicação do organismo-sua limpeza deve ser feita vária vez por dia segundo o procedimento do YOGA.O hálito fétido é conseqüência do processo normal, em geral, permanece em toda a duração de um jejum curto. 


Apenas com o aparecimento da fome fisiológica, a língua torna-se limpa, e o hálito agradável. Para facilitar a eliminação das secreções de muco e catarro do nariz, repete-se o procedimento da lavagem nasal várias vezes ao dia, conforme a necessidade.Geralmente, nos primeiros dias, a urina é escura e altamente concentrada. 


- Não convém sobrecarregar os rins, bebendo maior volume de líquidos do que o necessário para satisfazer a sede. 

- A eliminação através da urina pode ser constatada pela excreção de uréia, fosfatos e pigmentos biliares, além de muco.Nos casos de inflamação dos rins e da bexiga, pode-se notar até mesmo pus.

- O estômago é regenerado pelo repouso e retoma suas atividades com maior eficiência do que anteriormente. Um estômago distendido contrai-se, seus músculos readquirem a tonicidade normal. As maiorias dos estômagos estão enfraquecidas pela sobrecarga alimentar.

- As úlceras e gastrites curam-se, o catarro gástrico é eliminado e o apetite volta ao normal.

Durante o jejum, observa-se uma sensível queda no vigor da excitação sexual, retomando o impulso normal com o rompimento do jejum. Frequentemente, reaparecem o interesse e a atração sexual devido ao desembaraço das gônadas pela eliminação de resíduos tóxicos.As modificações químicas obedecem a um controle tão regular e inteligente quanto à autólise. Os constituintes orgânicos mais preciosos são retidos e redistribuídos pela circulação. Os elementos energéticos são utilizados à medida que os órgãos e funções essenciais deles necessitam.


-As perdas do fígado são consideráveis em água, glicogênio e gordura, sendo mais rápidas no inicio do jejum. A bílis que, às vezes, continua a ser secretada, pode refluir para o estômago e produzir náuseas e vômitos.Não há motivo para alarme.


- As perdas pulmonares são mínimas e as doenças dos pulmões são rapidamente recuperadas devido ao fato de que o tecido pulmonar possui o poder inerente de curar-se num tempo mais curto e de forma mais completa do que qualquer outro órgão.


- Os músculos esqueletais podem atingir uma perda considerável durante um jejum prolongado, mas mesmo assim os músculos respiratórios são mais poupados porque são mais necessários


As células musculares despendem gordura, glicogênio e proteína, tornando-se menores. Nos músculos lisos, não há diminuição do número de células, mas apenas do seu tamanho.


- O aparelho digestivo sofre uma retração muscular que aumenta a tonicidade posterior do peristaltismo.


- O coração recebe um repouso fabuloso devido à supressão da estimulação constante e à purificação do sangue.


 Depois de se estabilizarem as variações normais dos primeiros dias, o ritmo de um coração em sobrecarga cai de 80 para 60 pulsações por minuto, o que economiza 28.800 pulsações por dia. Isto representa uma diminuição de 25% do trabalho do coração. 


- A pressão sanguínea elevada baixa a níveis normais.No inicio do jejum, observam-se grandes variações do pulso. Um pulso baixo pode ser constatado em pessoas habituadas ao uso de estimulantes. 


A ausência completa de estimulante, neste caso, acarreta uma diminuição das atividades do corpo que eram habitualmente estimuladas. O pulso acelera-se durante um exercício, excitação, emoção ou pressão gasosa. Pode acelerar-se, também, durante uma crise de eliminação de toxinas, acompanhada de suor e sensação de frio ou calor. Ë perfeitamente normal e sem perigo, mas recomenda-se repouso durante esses períodos, os quais não dura muito tempo.


- A sensação de fome que, na verdade, é um apetite neurótico e tóxico, manifesta-se nos dois ou três primeiros dias do jejum, desaparecendo depois completamente devido à eliminação. È portanto, proporcional ao grau de toxidez do organismo. Essa sensação de fome aparece na hora habitual das refeições, desaparecendo algum tempo depois. Pode ser acalmada com uma bolsa de água quente, colocada sobre o estômago; pela massagem abdominal (Agnisara e Uddyana Bandha - massagens abdominais) ou pela lavagem estomacal (Vamana Dhauti - tomar água morna e vomitar).


Essa sensação de fome é acompanhada de dores de cabeça, fraqueza, sensação de vazio e dores de estômago, às vezes náuseas. São sensações mórbidas de toxemia, perfeitamente suportáveis e sem qualquer relação com a fome verdadeira. Frequentemente, estão relacionadas com a satisfação psicológica representada pela ingestão do alimento.


Durante o jejum, a temperatura torna-se ou conserva-se normal, com possíveis variações passageiras durante as crises de desintoxicação. Aumenta a sensibilidade ao frio, e o praticante deve ser mantido aquecido. 


- Os calafrios são devido à diminuição da temperatura cutânea. A resistência ao frio é reduzida pela lentidão do metabolismo.A digestão de grandes quantidades de alimentos é um processo esgotante.


É bem conhecidos a sensação de peso e o sono agitado que seguem uma refeição copiosa. 


- Durante o jejum, o sono é mais curto e mais leve nas pessoas que se mantêm em repouso. Aqueles que trabalham terão um sono normal e mais reparador, necessitando, eventualmente de menos horas de sono. 


As pessoas que sofrem de insônia e asma recuperam o sono perdido ou atrasado.


- Os dois ou três primeiros dias são os mais difíceis e quanto mais marcados os sintomas, maior a desintoxicação do organismo. À medida que o jejum progride, os sintomas desaparecem completamente.


- As crises de desintoxicação podem incluir ainda, eventualmente, dores gástricas ou úlceras, recrudescência do catarro nasal e grande quantidades de muco que são expelidas pela vagina, pelo nariz e garganta.São crises temporárias, de curta duração, e o processo de cura estabelece-se em seguida.As mudanças de posição para levantar ou sentar devem ser feitas lentamente para evitar-se vertigens. 


- Os desmaios são raros.

Nos casos em que a água parece ter um gosto estranho e desagradável, pode ser bebida água destilada, mineral sem gás ou chás de ervas.Se houver medo e falta de confiança nos resultados, é melhor interromper o jejum, mas a alimentação deve ser retomada observando-se estritamente as regras que serão dadas a este respeito.

-  No jejum feito em casa, geralmente o praticante é desaprovado pelos amigos e familiares e sofre esta influência. Embora tenham boas intenções e estejam realmente preocupados com a sua saúde, essas opiniões não devem influenciar uma decisão firme e confiante.


 Lembre-se do que diz a Bíblia:

 Quando jejuares, unge a tua testa e lava o teu rosto, a fim de não mostrares aos homens que jejuas. E Deus, que vê o que é oculto, recompensar-te-á.

O desejo de comer e a imaginação de copiosas refeições são deprimentes para quem jejua e fazem mais difícil a sua abstinência. O desejo de nutrição pode provocar a secreção psíquica do suco gástrico e aumentar a sensação de fome. 


O fato de passar o tempo do jejum pensando em comer e lamentando-se pela falta de alimentação, cria um humor irritado e produz angústia, além de provocar, no momento do rompimento do jejum, uma bulimia incontrolável. Procurar distrair-se: passear, se possível, conversar , ler e rezar são as atitudes mais saudáveis mentalmente. 


ROMPIMENTO DO JEJUM 

Não existe hora particularmente favorável para o rompimento do jejum. No entanto, nunca se deve ser rompido durante uma crise de desintoxicação, mas, sim, quando o praticante sentir-se bem disposto e sem maiores sintomas. Num jejum de curta duração, é muito benéfica a prática de Shanka Prashalana antes da primeira refeição para eliminar rapidamente os elementos que foram depositados no tubo intestinal: células mortas, toxinas, etc.

Embora a prática, nestas circunstâncias, seja mais rápida e não exija a ingestão de tanta água, mesmo assim é preciso que o paciente sinta-se com bastante energia e disposição para poder realizá-la. Neste caso, as duas primeiras refeições, em horários normais, devem ser constituídas de verduras cozidas e frutas secas que ficaram de molho durante 12 horas. Comem-se as frutas e bebe-se a água. A seguir, adota-se uma dieta especial por três ou quatro dias. 


O jejum de curta duração tem seus benefícios prolongados pela recuperação das células com elementos sadios, se for seguido de uma dieta especial por igual período. O peso não será recuperado tão rapidamente, é certo, mas os tecidos ganham em vitalidade e força.


- É particularmente perigosa a bulimia psicológica, a vontade insensata de regurgitar o máximo de alimentação e "recuperar" o tempo perdido. Esta fome insaciável é o reflexo dos hábitos alimentares anteriores e refere-se muito mais à satisfação emocional, proporcionada pela alimentação, do que a uma necessidade fisiológica. 


É no momento em que o jejum é rompido que se joga a cartada definitiva quanto aos seus resultados, tanto no sentido de limpeza do organismo, quanto de reformulação de hábitos alimentares.Ceder, neste momento, a um desejo insensato de comidas exóticas ou superalimentação é a forma mais certa de destruir os efeitos do jejum. Quando tiver sido atravessado este período de adaptação através de uma dieta adequada, o estômago contentar-se-à com um volume bem menor de alimentos. Se o paciente conseguir controlar-se neste momento, a partida está ganha.


Depois do jejum, e principalmente nas primeiras semanas, a alimentação deve ser a melhor possível, tanto no sentido de qualidades nutritivas quanto de integridade de composição. Os sucos de frutas devem ser naturais. Evitar todo alimento que tenha passado por processo químico ou cocção muito prolongada. Os sais minerais e vitaminas que o organismo necessita devem ser ingeridos através de alimentos naturais e não através de pílulas e cápsulas artificiais. À volta ao peso anterior, caso seja desejada, deve efetuar-se lentamente." 



A Importância do Jejum - Fábio Caio - 7 min.


O Jejum verdadeiro - 58 min.


VIVER DE LUZ

Din Akari Kei 
Inédia, Respiracionismo e Alimentação Prânica são alguns dos nomes dados a um estilo de vida que quebra mais um paradigma existencial e científico.
Ao redor do mundo existem milhares de pessoas que afirmam e comprovam que vivem sem ingerir alimentos físicos.

Elas passaram pelo “processo dos 21 dias” que tem o objetivo de reativar a função do DNA-lixo que lhes devolve a possibilidade de viver consumindo apenas água, luz e prana (chi), a energia da vida. 

Há centenas de anos, os seres que escravizam as almas presentes na Terra impuseram através das programações mentais (tradições) o hábito de comer. Nos levando assim a causar os desequilíbrios da biosfera que nos fazem pensar ser culpa nossa.

A história do mundo e da humanidade é muito diferente do que a escola, os meios de comunicação e as religiões querem te fazer acreditar.

A alimentação convencional, condicionada desde nossa primeira infância, serve aos escravizadores como um entorpecente (ópio) psico-neural para manter o rebanho manso. Por isso os alimentos são enriquecidos com várias substâncias desde a sua plantação.

Os condicionamentos que sofremos aqui na Terra são como softwares de computador que ficam sendo executados repetidamente em nosso corpo (super computador quântico). Portanto o condicionamento da alimentação é tão forte e arraigado em nós desde o inicio de nossa encarnação que mal concebemos a hipótese para uma vida livre deste costume.

A alimentação física nada mais é do que um vício. Assim como alguém que está em abstinência do uso de alguma droga, quando você fica sem comer, apresenta as sensações da síndrome da abstinência: tremedeira, variação de pressão, sensação de fraqueza, tontura, desejo intenso por alimentos muito saborosos (doces, gordurosos, fortemente salgados), inquietação, sonolência, ansiedade, etc.

Acreditávamos que a alimentação assim como  a conhecemos, era algo natural de todos os animais da natureza terrestre. Mas finalmente estamos descobrindo que isso não é uma verdade absoluta. Há muita coisa que os livros e a ciência cética-materialista não dizem ou não conseguem explicar. É conveniente para poucos e poderosos que o rebanho de humanos não saiba do verdadeiro potencial do seu ser. 

Se viver sem comer é possível por que isso não aparece nos meios de comunicação como a grande solução para a fome no mundo? As instituições não tem interesse no bem-estar. O interesse está no domínio que a "cúpula" quer manter, somente.

Informações desse porte raramente são veiculadas por que a mídia mundial é altamente controlada. Você pode desvendar esse controle clicando aqui.
Entenda que os dirigentes da Terra não são apenas pessoas engravatadas em grandes cargos, são seres que atuam sobre nós através de outras dimensões existentes aos quais nós (gado) na maioria não temos acesso (ainda).

Por que a ciência diz que isso é impossível?

Os estudos  e publicações científicas são financiados por grandes empresas desde que estes não vão de choque ao seu interesse comercial. Por que publicar descobertas sobre a “não-alimentação” se a indústria alimentícia é tão lucrativa? Por que deixar que você redescubra que é um Deus, puro potencial infinito, se é mais conveniente que você acredite que existem coisas impossíveis?

Na dimensão governada pelo Medo, a elite teme perder o poder de controle sobre nós.

Viver de Luz implica em alguma limitação?
Nenhuma. Segundo os adeptos, a alimentação física é que gera as limitações.

Os alimentos vão desorganizando a química natural do corpo, principalmente os industrializados, levando o sistema à falência pouco a pouco. A indústria farmacêutica lucra com isso, pois ela venderá os medicamentos que vão disfarçar os sintomas e manter você sem descobrir o porquê das desordens orgânicas. Quem cria a doença é também quem cria a medicação.

Fomos educados para pensar de determinada forma. Agimos como as formiguinhas no formigueiro: cada um fazendo a sua função de acordo com o que está programado em sua mente. Você percebe isso?

Na proporção em que nossa bioenergia é aplicada na digestão, ela deixa de ser útil em outros processos fisiológicos como os neuropsicológicos, por exemplo. Quanto mais complexa a composição química, mais energia dispende. Os alimentos mais complexos são os de origem animal. O efeito de uma digestão pesada é opioide.

Aderir a um estilo de vida livre do vicio da alimentação, livre de doenças e de vazios emocionais (que tentamos preencher inconscientemente com a alimentação) requer o estudo e pesquisa antecipados para então decidir se passar pelo processo dos 21 dias é exatamente o que se quer. A transição para este estilo de vida não se dá de uma hora para outra. Por isso não vá colocar sua saúde em risco!

Detalhe importante: Tornar-se respiracionista é desligar a necessidade fisiológica de alimentação,é desligar a fome, é sair de um vício. Alguns respiracionistas eventualmente degustam algum alimento físico para ter prazer no paladar o que pode repercutir no seu corpo emocional e na queda de sua vibração momentaneamente.

Bem, independente de você compreender o tamanho da ilusão na qual estamos inseridos, e isso exige dedicação e liberdade de pensamento, fica sempre o apelo para a LUCIDEZ:

Apenas abra a sua mente para a POSSIBILIDADE de o que está sendo dito aqui ser verdade. Apenas pense nesta possibilidade!

Aqui mesmo no Brasil, algumas pessoas adotaram este estilo de vida. 

Curando com Luz

Tecnologia Médica Avançada
By: Matt DeBow
925-945-00
Traduzido por : Punaro Bley Adão de Oliveira
Luz é uma das mais importantes dinâmicas da vida. Seu poder e significado está apenas começando a ser entendido. Luz é a energia que nossos corpos usam, sua ação bioquímica afeta os hormônio do metabolismo em nossos corpos. Pesquisas têm provado que para nós sermos saudáveis precisamos de uma certa quantidade de luz todo o dia. Há casos de síndromes de deficiência de luz conhecida com SAD (seasonal affetive disorder - perturbação afetiva periódica) que ocorre com a falta de luz. Luz afeta diferentes reações enzimáticas, bebês que sofrem de icterícia são colocados sob a luz azul para tratamento.
Por estranho que pareça os raios de luz branca são, na realidade, composto de várias cores de luz. O arco íris nos mostra uma faixa completa de luz que é visível ao olho nu. Luz monocromática , em termos científicos, é a luz que é isolada numa freqüência simples. Monocromático significa, literalmente, uma única cor ou a produção de um único comprimento de onda eletromagnética.
Luz tem toda uma aplicação dentro do campo da medicina. Apesar de FDA (Food and Drug Administration - Agência de Administração de Comida e Drogas) não ter aprovado alguns de seu potencial uso, e a aprovação atual ser muito limitada, europeus e japoneses tem sido tímidos para desenvolver este assunto numa nova ciência, existe um esmagador sucesso no tratamento de tumores cerebrais, do esôfago e câncer de pele usando terapia fotodinâmica. Quando a freqüência da luz é separada num simples comprimento de onda ela tem uma profunda dinâmica. Uma dessas conhecida dinâmicas é a habilidade de viajar vastas distâncias dentro de uma única concentração de radiação conhecida como laser. Tem se falado que nos anos de 1970 os russos foram os primeiros a analisar as mudanças ocorridas nas células dos tecidos usando luz monocromática. Uma única onda de luz é essencial, porque o tecido celular não responderá se mais de um comprimento de onda (luz) estiver presente.
Dr. Robert Temple do FDA tem declarado que pacientes com grandes tumores não tem outra opção. PDT( photodynamic therapy - terapia fotodinâmica) ou LLLT ( Low level light therapy - terapia de baixo nível de luz) atenua não somente os sintomas mas cura o problema. O processo é tão eficiente em função do custo que pode ter um impacto negativo na indústria farmacêutica em futuro próximo.
Cientistas tem determinado que a energia do próton é absorvida pelo DNA, ativando o mesmo. O DNA , então, transmite esta nova energia para as paredes celulares por meio de proteínas e transferência de cálcio. Assim as paredes celulares tornam-se saudáveis permitindo as funções celulares, novamente, a capacidade total. O tecido irradiado aumenta o fluxo sangüíneo ajudando transportar vitaminas e nutrientes para dentro das áreas mais necessitadas, sem danificar o tecido circunvizinho. Como resultado do crescimento do fluxo sangüíneo, toxinas e produtos do metabolismo são levados para longe do tecido dolorido rapidamente, estimulando o danificado e irregular tecido celular para processo de cura mais acelerado.
A luz com uma única forma de onda pode desenvolver rápidos milagres na cura do câncer, desintegrando tumores e reparando tecidos danificados. Este processo pode ser feito sem dor cirúrgica. O único efeito colateral conhecido da terapia de luz (fototerapia) é a tendência do paciente ter queimaduras de sol mais facilmente, o que pode ser evitado ficando o mesmo em exposição direta a luz do sol de 4 a 6 semanas depois do tratamento.
Existem vários companhias de biotecnologia, no momento, desenvolvendo não somente equipamentos mas produtos químicos fotoativos conhecidos como photosensitizers (relativo a sensibilidade a luz); drogas fotoreativas que interagem com a luz nos processos de cura. A Universidade Estadual Bowling Grenn, em Ohio, tem desenvolvido, recentemente, um programa para Pós Doutorado em ciências fotoquímicas. A maioria dos equipamentos de bioestimulação ainda não foi aprovado pelo FDA. Eles não tem documentação suficiente para serem fabricados nos Estados Unidos para atender as reivindicações de eficácia clínica.
Fototerapia com luz monocromática tem sido usada com sucesso em tratamentos de câncer de garganta, de pele e do esôfago. È , também, bom para alívio da dor, redução de inchaço , ferimentos em esportes, degeneração macular , tendinite, queimaduras, herpes, entre outras coisas.
Eu estou procurando financiamento para um documentário de vídeo sobre este assunto que deverá ser feito, esperançosamente, em 2001 ou mais tardar. Se você está interessado em adquirir mais informações, uma versão maior deste assunto, e/ou uma cópia do vídeo para seu uso , por favor contate-me.

Matt DeBow 925-945-5500
Fontes:
Licença padrão do YouTube
http://vidadeluz.blogspot.com.br/2004/08/jejum-preparao.html
:http://www.esoterismosite.hpg.ig.com.br/corporesanus46.htm
posted by Anita @ 3:25 PM
http://www.vivendodaluz.com/PT/articles/processo21dias.html
Sejam felizes todos os seres. 
Vivam em paz todos os seres. Sejam abençoados todos os seres.