sexta-feira, 17 de junho de 2011

JS Bach Cantata BWV 66 Part 2 leonhardt


Enviado por em 17/06/2011
nenhuma descrição disponCategoriaMúsicaLicença:Licença padrão do YouTube
DELÍCIA DE AMBIENTE FESTIVO - CONVIDATIVO !

Cantata 66:
Deixe o coração alegrar-se
     
 Kantata 66: Erfreut euch, ihr Herzen
Composta em Leipzig Cantata Religiosa  
 
Destinados à feira de Páscoa, 
este trabalho estreou em 10 de abril de 1724.  

Contudo, não é uma nova contagem, como a música é basicamente o mesmo que uma cantata de Bach compôs em Cöthen em 1718 para comemorar o aniversário do príncipe Leopold.  

A cantata libretista anônima de 1724 teve a difícil tarefa de escrever um texto que corresponda à música e também fez alusão à festa pascal. O sentimento de exultação solene e fortes contrastes de texto estão em todo o caso para a ocasião e certamente sabe como usar Cantor.  

O trabalho é para coro contralto, 
trompete, oboé, fagote, cordas e contínuo,
e consiste em seis movimentos.
 
O coro grande abertura
é similar ao Oratório de Natal:

A primeira seção do brilhantismo instrumental e vocal notável, apresenta questões e poderoso escalas jubilant traduzir adequadamente o tema da Ressurreição. Na seção média e diminui o ritmo de escrita diatônica é substituído por um cromatismo negrito. 

Esta segunda seção é principalmente um dueto de alto e baixo, uma intervenção vigorosa de todas as vozes brevemente interrompida. Um recitativo curta leva a ária bass esplêndido, em que não Bach só retorna aos gramados e ritmo, mas também o acento coro de abertura exultantes. 
 
O quarto movimento é um diálogo entre Fear (contralto) e Esperança (tenor).  

É um recitativo elaborado
com uma seção central 
(arianos) como um duo. 
 
Após a alegria da Ressurreição, a inclusão desse diálogo é justificado pela referência à história do Evangelho, onde Jesus na estrada para Emaús, confortado por dois homens, com a alma confuso e doloroso falar da morte "que ia redimir Israel. "  

Medo e esperança de voltar a falar com o dueto de alto e tenor (V), a página afável que melhora um tratado solo de violino. No coral conclusivo, a melodia é um hino medieval para a Páscoa do tempo e do Aleluia texto, terceiro verso de um coral luterano tradicional.

Julio Sánchez Reyes  
Copyright 2000-2007 - Todos os direitos reservados - 
Sejam felizes todos os seres.Vivam em paz todos os seres.
Sejam abençoados todos os seres.

GOTTFRIED WILHELM LEIBINIZ

 




Gottfried Wilhelm Leibniz 
(1646- 1716) nasceu no dia primeiro de julho, 
na cidade alemã de Leipzig.



Era filho de um professor de filosofia moral. Sua família era de origem eslava. Criança ainda, explorava a biblioteca do pai. Viu os autores antigos e escolásticos. Tomou contato com Platão e Aristóteles. Com quinze anos começou a ler os filósofos modernos. Bacon, Descartes, Hobbes e Galileu.

Leibniz foi de um espírito universal, 
muito inteligente, que revelou aptidão 
e genialidade em diversos campos.

Bertrand Russel fala que era admirável, mas não como pessoa; pois escreveu para ser popular e agradar os princípes. Cursou filosofia na cidade natal, matemática em Jena, com vinte anos. Cursou também jurisprudência em Altdorf. Em 1663, aluno da faculdade de filosofia, escreveu um trabalho sobre individualização.

        Influenciado pelo mecanicismo de Descartes, que mais tarde refutou, expôs suas idéias em um livro, onde associava a filosofia e a matemática. Esboçou as primeiras considerações do que viria a ser sua grande descoberta matemática: o cálculo infinitesimal. Leibniz o desenvolveu na mesma época que Newton, um pouco depois...

        ... Leibniz era a favor da união das igrejas. Foi sócio da academia científica de Paris e de Berlim, que fundou...
        ... Dentre as muitas obras de Leibniz se destacam: 
  • Discurso da Metafísica
  • Novos ensaios sobre o entendimento humano (resposta a Locke), Sobre a origem das coisas, Sobre o verdadeiro método da filosofia
  • Teologia e correspondência.
        ... Leibniz identificou a percepção_inconsciente na natureza humana. É aquele estado de consciência no qual a alma fica sem perceber nada distintamente, nós não nos recordamos do que vivemos. Certamente Leibiniz falava daquela estado especial de não entendimento e não associação em que a alma fica "amorfa". Mas tal estado não é duradouro, enquanto estamos nele, parecemos as mônadas...



 
 

  

        ... Na sua visão da existência de uma “característica universal”, Leibniz encontrava-se dois séculos à frente de sua época, no que concerne à matemática e à lógica.
        ... Leibniz criou uma máquina de calcular, superior à que fora criada por Pascal, fazendo as quatro operações.

 
        Leibniz continuou a aperfeiçoar seu sistema metafísico na década de 1680, tentando reduzir o raciocínio a uma álgebra do pensamento. Leibniz publicou Meditationes de Cognitione, Veritate et Ideis (Reflexões sobre Conhecimento, Verdade e Idéias) que esclarecia sua teoria sobre o conhecimento. Em fevereiro de 1686 Leibniz escreveu seu Discours de métaphysique (Tratado sobre Metafísica).


Em 1666 escreveu De Arte Combinatoria no qual formulou um modelo que é o precursor teórico de computação moderna: todo raciocínio, toda descoberta, verbal ou não, é redutível a uma combinação ordenada de elementos tais como números, palavras, sons ou cores. 

        Em 1671 ele publica sua Hypothesis physica nova, em duas partes, contendo suas reflexões sobre a difícil teoria do ponto, relacionada a problemas na ótica, espaço e movimento. Ele afirma que o movimento depende, como na teoria do astrônomo alemão Johannes Kepler, da ação de um espírito (Deus). Suas especulações de então levaram-no a situar a alma em um ponto - o que depois desenvolveria como idéia de "mônadas" - e a desenvolver o princípio da razão suficiente (nada acontece sem uma razão).


        Neste inicio do terceiro milênio, quando os países europeus lançam-se em enormes esforços para solidificar uma unidade continental, o nome do filósofo alemão Leibniz veio a memória de muitos como um dos primeiros pensadores que, como diplomata e homem de letras, procurou encontrar caminhos que levassem os soberanos europeus a tentarem uma unidade qualquer para o futuro, para assim evitar-se as guerras intestinas que tantas vezes devastaram a Europa. Como se viu, poucos o escutaram e nenhum o seguiu.


        A monadalogia ( do grego monas = unidade) exprime a concepção original de Leibniz sobre a natureza das coisas. "O universo é considerado uma ordenação de mônadas, isto é, de centros espirituais dinâmicos, em que se compenetram, misteriosamente, individualidade e substancialidade. Cada mônada é um espelho do mundo e, simultaneamente, uma criação original indestrutível, dotada de tendências ou mesmo de acção. O seu lugar na ordem hierárquica determina-se pelo grau de clareza e distinção com que consegue representar o universo" (F.Heinnemann).  Deus é a mónada original, criador da infinidade das mônadas que compõem o mundo.  


Fontes
www.Guia.heu.nom.br
Sejam felizes todos os seres. Vivam em paz todos os seres. 
Sejam abençoados todos os seres.

ESTRUTURA DA MENTE HUMANA



Para fins meramente didáticos, podemos subdividir a mente em:
  • Nos lobos frontais recebemos os «estímulos do futuro», 
  • no córtex abrigamos as «sugestões do presente», 
  • e no sistema nervoso, propriamente dito, arquivamos as «lembranças do passado».
Consciente         = Presente  => Telencéfalo (Córtex cerebral)
 
        Na região do córtex_motor, zona intermediária entre os lobos frontais e os nervos, temos o cérebro desenvolvido, consubstanciando as energias motoras de que se serve a nossa mente para as manifestações imprescindíveis no atual momento evolutivo do nosso modo de ser.
[25 - páginas 46 / 47] - André Luiz  
        ...sede do esforço próprio, desenvolvimento da vontade.
[25 - página 49] - André Luiz

        O Eu exterior (a consciência exterior clara).
        A consciência é conquista, é prêmio aos imensos esforços
Subconsciente    = Passado  => Diencéfalo; Mesencéfalo; Rombencéfalo
 
        No sistema nervoso, temos o cérebro inicial
        Figuremo-lo como sendo o porão da individualidade, onde arquivamos todas as experiências e registramos os menores fatos da vida.
[25 - páginas 46 / 47] André Luiz  
        ...esfera dos impulsos instintivos, onde se arquivam todas as experiências da animalidade anterior. (Inconsciente)
[25 - página 49] André Luiz

        Consciência interior latente, uma consciência mais profunda que a normal, onde se encontram as causas de muitos fenômenos inexplicáveis para vós.
        ...olhais admirados tantas coisas que afloram de vossa consciência mais profunda, sem poderdes descobrir as origens: 
        Daí nascem irresistíveis todas as maiores afirmações de vossa personalidade. Aí está o vosso verdadeiro e eterno Eu. Não o Eu exterior, aquele que sentes mais quando estais no corpo, aquele Eu que é filho da matéria e que morre com ela.


Subconsciente, isto é, cérebro do corpo fluídico.
Martins Peralva, no livro "Estudando a Mediunidade"
Superconsciente = Futuro     => Lobos frontais (no Telencéfalo)
 
        Nos planos dos lobos_frontais, silenciosos ainda para a investigação científica do mundo, jazem materiais de ordem sublime, que conquistaremos gradualmente, no esforço de ascensão, representando a parte mais nobre de nosso organismo divino em evolução.
        ...onde situamos as concepções superiores. 
[25 - página 49] André Luiz

        Quando o Eu exterior ( consciência exterior clara) expandir-se no contínuo evolver da vida, aprofundar-se para a consciência interior latente que tende a vir à tona e a revelar-se. 
        Os dois pólos do ser — consciência exterior clara  e  consciência interior latente — tendem a fundir-se. A consciência clara experimenta, assimila, imerge na consciência os produtos assimilados através do movimento da vida — destilação de valores, automatismos, que constituirão os instintos do futuro. Assim expande-se a personalidade com essas incessantes trocas e se realiza o grande objetivo da vida. Quando a consciência latente tiver se tornado clara e o Eu tiver pleno conhecimento de si mesmo, o homem terá vencido a morte.

        De forma resumida, pode-se dizer que as descrições mais convencionais apontam a consciência [1] como sendo uma propriedade emergente das atividades computacionais realizadas pelas redes de neurônios que constituem o cérebro. O cérebro é visto essencialmente como um "computador" para o qual as excitações neurais (correspondentes à atividade sináptica) seriam os estados de informação fundamentais (equivalentes aos bits). A partir dessa visão, certos padrões de atividades neurais teriam estados mentais correlatos, sendo que oscilações sincronizadas no tálamo e no córtex_cerebral produziriam uma conexão temporária dessas informações e a consciência surgiria como uma propriedade nova e singular, emergente da complexidade computacional das redes neurais atuando em sincronia.

[1] Obviamente, palavra "consciência" é empregada aqui no sentido neuropsicológico, não no sentido moral.

Veja-se, por exemplo, o artigo "Consciousness and Complexity", de G. Tononi e G. M. Edelman, publicado na revista Science, vol.282, pp.1846-51 (1998). G. M. Edelman foi ganhador do Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia de 1972.


        Corpos sólidos, líquidos, gasosos, fluidos densos e radiantes, energias sutis, raios de variadas espécies e poderes ocultos tecem a rede em que a nossa consciência se desenvolve, na expansão para a imortalidade gloriosa.

Emmanuel - (Roteiro)  [55 - página 46]
Um dia, compreenderá o homem comum a importância do pensamento. Por agora, é muito difícil revelar-lhe o sublime poder da mente.

[16a - página 308] - André Luiz
       Nossa mente é, destarte, um núcleo de forças inteligentes, gerando plasmas_sutil que, a exteriorizar-se incessantemente de nós, oferece recursos de objetividade às figuras de nossa imaginação, sob o comando de nossos próprios desígnios.

 (Ver: Ideoplastia )

Ver "processo mental" em: Origem e destino do espírito

  1. A mente é dínamo gerador de energia de difícil catalogação, que se expressa automaticamente, conforme o conteúdo emocional de que se reveste. 
  2. Exteriorização do Espírito, é interpretada pelo cérebro que a transforma em idéia, tornando-a veículo de comunicação e de expressão variadas. 
  3. Força irradiante, o seu teor vibratório resulta dos sentimentos daquele que a emite. 
  4. O Universo é o resultado da Mente divina que não cessa de agir positivamente. 
JOANNA DE ÂNGELIS - Psicografado por Divaldo Pereira Franco
 
Nossa mente é um ponto espiritual limitado, a desenvolver-se em conhecimento e amor, na espiritualidade infinita e gloriosa de Deus.

        A  mente é o espelho da vida em toda a parte. Ergue-se na Terra para Deus, sob a égide do Cristo, à feição do diamante bruto, que, arrancado ao ventre obscuro do solo, avança, com a orientação do lapidário, para a magnificência da luz.
  • Nos seres primitivos, aparece sob a ganga do instinto
  • nas almas humanas surge entre as ilusões que salteiam a inteligência
  • e revela-se nos Espíritos Aperfeiçoados por brilhante precioso a retratar a Glória Divina.
        Estudando-a de nossa posição espiritual, confinados que nos achamos entre a animalidade e a angelitude, somos impelidos a interpretá-la como sendo o campo de nossa consciência desperta, na faixa evolutiva em que o conhecimento adquirido nos permite operar

EMMANUEL - Psicografado por Francisco Cândido Xavier
A energia mental é o fermento vivo que improvisa, altera, constringe, alarga, assimila, desassimila, integra, pulveriza ou recompõe a matéria em todas as dimensões.
Emmanuel - (Roteiro)  [55 - página 147]
(Ver: Fluido vivo )
        mente humana, ainda que indefinível pela conceituação científica limitada, na Terra, é o centro de toda manifestação vital no planeta.  Cada órgão, cada glândula, integra o quadro de serviço da máquina sublime, construída no molde sutil do corpo espiritual preexistente. Cada célula é minúsculo motor, trabalhando ao impulso mental

ANDRÉ LUIZ - Psicografado por Francisco Cândido Xavier 
         Não ignoras que a modificação do plano mental das criaturas ninguém jamais a impõe: 
  • é fruto de tempo, 
  • de esforço, 
  • de evolução; e o edifício da sociedade humana, em o atual momento do mundo, vem sendo abalado nos próprios alicerces, compelindo imenso número de pessoas a imprevistas renovações. 
        Certo, não te surpreenderás se eu disser que, em face do surto da inteligência moderna, que embate na paralisia do sentimento, periclita a razão. O progresso material atordoa a alma do homem desatento. Grandes massas, há séculos, permanecem distanciadas da luz espiritual. A civilização puramente científica é um Saturno devorador, e a humanidade de agora se defronta com implacáveis exigências de acelerado crescer mental. Daí o agravo de obrigações no setor da assistência da espiritualidade. As necessidades de preparação do espírito intensificam-se em ritmo assustador.

Justapondo-se ao cérebro, a  mente surge como esfera de luz característica, oferecendo em cada companheiro determinado potencial de radiação. 

ANDRÉ LUIZ - Psicografado por Francisco Cândido Xavier
        Em todo o cosmo celular agitam-se interruptores e condutores, elementos de emissão e de recepção.
        A mente é a orientadora desse universo microscópico, em que bilhões de corpúsculos e energias multiformes se consagram a seu serviço. Dela emanam as correntes da vontade, determinando vasta rede de estímulos, 
  • reagindo ante as exigências da paisagem externa, 
  • ou atendendo às sugestões das zonas interiores. 
        Colocada entre o objetivo e o subjetivo, é obrigada pela Divina Lei a:
  • aprender, 
  • verificar, 
  • escolher, 
  • repelir, 
  • aceitar, 
  • recolher, 
  • guardar, 
  • enriquecer-se, 
  • iluminar-se, 
  • progredir sempre. 
  1. Do plano objetivo, recebe-lhe os atritos e as influências da luta direta; 
  2. da esfera subjetiva, absorve-lhe a inspiração, mais ou menos intensa, das inteligências desencarnadas ou encarnadas que lhe são afins, e os resultados das criações mentais que lhe são peculiares. 
        Ainda que permaneça aparentemente estacionaria, a mente prossegue seu caminho, sem recuos, sob a indefectível atuação das forças visíveis ou das invisíveis.

        A mente está presente em todo o corpo e sabe se expressar também de modos não-cerebrais.  Por exemplo, as células têm sua forma própria de inteligência, os músculos guardam memórias emocionais, e a postura corporal pose ser determinante para o estado de espírito.
        Há na mente humana algo como uma tela receptiva por onde desfilam imagens e pensamentos. Algumas dessas imagens são de produção própria, outras apenas repetições. Cada idéia traz consigo certa quantidade de energia e causa determinada impressão sobre o nosso estado de espírito.  Esse, por sua vez, influencia o funcionamento de todo o corpo. 
        As idéias e impressões que habitam nosso mundo interior - mesmo que permaneçam inconscientes e não sejam projetadas na tela consciente - exercem forte influência sobre nós e estabelecem misteriosas relações com o mundo psicológico das outras pessoas.
        O ser humano tem a liberdade de controlar seus estados de espírito. A lei do carma ensina que cada homem é o absoluto legislador e diretor do seu destino. Há milhares de anos o indivíduo humano busca o autoconhecimento e aprimora suas técnicas de autocontrole para alcançar uma felicidade estável, que não dependa dos altos e baixos externos da vida. A religião, a filosofia, a arte e a psicologia vêm buscando essa meta há muito tempo e com êxito crescente. 

[Revista Planeta - FEV/2002]
Fonte:
Guia.heu.non.br
http://www.guia.heu.nom.br/mente.htm
Sejam felizes todos os seres. Vivam em paz todos os seres.
Sejam abençoados todos os seres.

FLUIDO CÓSMICO


Fluido cósmico


Fluido cósmico (universal; primitivo; elementar) 
- Elemento universal 
- Plasma Divino -
( Ver: Éter )
       O fluido cósmico universal é, como já foi demonstrado, a matéria elementar primitiva, cujas modificações e transformações constituem a inumerável variedade dos corpos da Natureza.  

        Como princípio elementar do Universo, ele assume dois estados distintos:

    o de eterização ou imponderabilidade, que se pode considerar o primitivo estado normal

    e o de materialização ou de ponderabilidade, que é, de certa maneira, consecutivo àquele (mundo visível). (Ver: Partícula de Higgs)

        O ponto intermédio é o da transformação_do_fluido_em_matéria tangível. Mas, ainda aí, não há transição brusca, porquanto podem considerar-se os nossos fluidos_imponderáveis como termo médio entre os dois estados.

No estado de eterização, o fluido cósmico não é uniforme; sem deixar de ser etéreo, sofre modificações tão variadas em gênero e mais numerosas talvez do que no estado de matéria_tangível. Essas modificações constituem fluidos distintos que, embora procedentes do mesmo princípio, são dotados de propriedades especiais e dão lugar aos fenômenos peculiares ao mundo invisível.

A matéria etérea e sutil que constitui esse fluido vos é imponderável. Nem por isso, entretanto, deixa de ser o princípio da vossa matéria pesada. 

        A matéria cósmica primitiva continha os elementos ...

    materiais,

    fluídicos

    e vitais de todos os universos que estadeiam suas magnificências diante da eternidade.

        Ela é a mãe fecunda de todas as coisas, 
a primeira avó e, sobretudo, 
a eterna geratriz.

    Absolutamente não desapareceu essa substância donde provêm as esferas siderais; (Ver: Matéria escura)

    não morreu essa potência, pois que ainda, incessantemente, dá à luz novas criações e incessantemente recebe, reconstituídos, os princípios dos mundos que se apagam do livro eterno.

        A substância etérea:


    mais ou menos rarefeita, que se difunde pelos espaços interplanetários;
    esse fluido cósmico que enche o mundo, mais ou menos rarefeito, nas regiões imensas, opulentas de aglomerações de estrelas;
    mais ou menos condensado onde o céu astral ainda não brilha;

    mais ou menos modificado por diversas combinações, de acordo com as localidades da extensão, nada mais é do que a substância primitiva onde residem as forças universais, donde a Natureza há tirado todas as coisas.

        O fluido cósmico é o plasma divino, hausto do Criador ou força_nervosa do Todo-Sábio. Nesse elemento primordial, vibram e vivem  constelações e sóis, mundos e seres, como peixes no oceano. (Ver: Matéria escura)

Compete-nos, pois, anotar que o fluido cósmico ou plasma divino é a força em que todos vivemos, nos ângulos variados da natureza, motivo pelo qual já se afirmou, e com toda a razão, que "em Deus nos movemos e existimos" (*)

(*) - Paulo de Tarso, em Atos, 17:28.

O fluido universal, onde se contém o principio da vida, é o agente principal das manifestações, agente que recebe impulsão do Espírito, seja encarnado, seja errante.

        Condensado, esse fluido constitui o perispírito, ou invólucro semimaterial do Espírito.  (Ver: Natureza do perispírito)

        As respostas seguintes nos foram dadas pelo Espírito São Luís. Muitos outros, depois, as confirmaram.

    I. Será o fluido universal uma emanação da divindade?
    "Não."

    II. Será uma criação da divindade?
    "Tudo é criado, exceto Deus."

    III. O fluido universal será ao mesmo tempo o elemento universal?
    "Sim, é o princípio elementar de todas as coisas."

    IV. Alguma relação tem ele com o fluido elétrico, cujos efeitos conhecemos?
    "É o seu elemento." (Ver: Energia escura)

    V. Em que estado o fluido universal se nos apresenta, na sua maior simplicidade?
     "Para o encontrarmos na sua simplicidade absoluta, precisamos ascender aos Espíritos puros. No vosso mundo, ele sempre se acha mais ou menos modificado, para formar a matéria compacta que vos cerca.  Entretanto, podeis dizer que o estado em que se encontra mais próximo daquela simplicidade é o do fluido a que chamais fluido magnético animal."
    (Ver: Matéria PSI)

    VI. Já disseram que o fluido universal é a fonte da vida. Será ao mesmo tempo a fonte da inteligência?
    "Não, esse fluido apenas anima a matéria."

    VII. Pois que é desse fluido que se compõe o perispírito, parece que, neste, ele se acha num estado de condensação, que o aproxima, até certo ponto, da matéria propriamente dita? 

    "Até certo ponto, como dizes, porquanto não tem todas as propriedades da matéria. É mais ou menos condensado, conforme os mundos." (Ver: Matéria escura)

      Recentemente, foi descoberta pelo Dr. Paul Nogier do Gemer Institute da França (SOUZA, 1999) uma energia denominada Reticular, a qual, projeta-se em linha reta através dos pólos norte ou sul de um imã após passar através de filtros especiais. Tem ação sobre o metabolismo celular, ...

    tanto ao nível das trocas celulares

    como no nível das funções nucleares.

        É mais um passo no entendimento das possibilidades de expressão energética do fluido cósmico (KARDEC, 1986) ou energia cósmica (IMBASSAHY, 2002).

GEOMAT - DCTM - Escola Politécnica - UFBA
ANDADSYSTEM - Eng. Consultor
jbarbosa@e-net.com.br, jbarbosa@ufba.br
http://www.porthal.org/pesqcientif.html

          Fluido universal:

    1. Plasma divino, hausto do Criador, elemento primordial em que vibram e vivem constelações e sóis, mundos e seres.

    2. É o princípio material do universo, do qual se derivam todas as coisas materiais mediante alterações e combinações ainda insondáveis.

    3. As matérias derivadas do fluido universal apresentam-se nos estados sólido, líquido, gasoso e no estado fluídico propriamente dito, também chamado de fluido espiritual, tanto que, enquanto os três primeiros podem ser manipulados pela mão do homem, o último é sensível ao poder do pensamento e da vontade dos Espíritos.http://www.espirito.org.br/portal/doutrina/vocabulario/letra-f.html
        Essa energia fundamental, provavelmente a tida hoje em Física, como a energia amorfa fundamental. Tem sido cada vez mais entendida como o veículo_do_pensamento_divino, no fantástico processo de criação e sustentação da vida.  Em tempos, aliás, da chamada Teoria da Grande Unificação, em que se busca reunir os quatro tipos de forças fundamentais conhecidas (eletromagnética, gravitacional, interação fraca e interação forte) em uma única grande força, a idéia de um “fluido cósmico”, apontada pelos instrutores de Kardec, surge cada vez mais compreensível.

        Em 1975  Murray Gell Mann, à frente do acelerador de partículas da Stanford University estabeleceu o novo princípio revolucionário de que as partículas atômicas, por si só, jamais poderiam ser formadas se, sobre a energia cósmica universal não atuassem agentes estranhos ao domínio material e com poderes para estruturá-las.  

        O físico alemão Werner Karl Heisenberg, ao formular em 1927 o Princípio da Incerteza,  observou que, partículas lançadas sobre um mesmo alvo em idênticas condições, nem sempre obedeciam a mesma trajetória, sofrendo um desvio anômalo sem que se pudesse saber o motivo pelo qual assim agiam. Ele chegou a dizer que pareciam ovelhas desgarradas com vontade própria. Foi dessa maneira que se estabeleceu o primeiro princípio admitindo que, sobre a energia cósmica universal atuariam agentes externos capazes de modulá-la e dar-lhes forma dita material. Ou melhor, dotar-lhe da tal "vontade própria".
Ver: Mônada (em: evolução e corpo espiritual)
        A tese, posteriormente, foi reforçada pelas pesquisas do Observatório Heck II do Haway ao verificar, ao final do século XX, que a estrela Alfa Centauro estaria formando_um_sistema_planetário sugerindo que, em seu entorno, haveria uma ação conjunta de agentes externos ao Universo com poderes capazes de agregar a poeira cósmica, dando início ao sistema planetário em causa.  

        A Ciência está um passo de admitir que exista um outro domínio externo ao Universo, que, para os reencarnacionistas, seria o mundo espiritual.  (Ver: Preparando uma galáxia)- http://www.cvdee.org.br/trata_artigosn.asp?ID=118
        Imagine um universo sem estrelas, sem galáxias e sem luz: apenas uma mistura negra de gases primordiais imersa em um oceano de matéria_invisível. Centenas de milhares de anos depois da ofuscante explosão do Big Bang, o Universo foi lentamente mergulhando em trevas que durante quase meio bilhão de anos. Foi então que ocorreu algo que mudou tudo, algo que levou ao surgimento não só de estrelas e galáxias, mas também à criação de planetas, pessoas, begônias e lagartos. O que aconteceu?  

                                        Fluido cósmico universal

[Revista National Geographic Brasil-FEV/2003]www.nationalgeographicbr.com.br
Carlos de Brito Imbassahy

        Eu já tenho explicado, que o FCU (Fluido Cósmico Universal) foi imaginado por Sir Isaac Newton para justificar, na sua teoria das emissões luminosas, a propagação óptica pelo espaço sideral.

        Em 1905, Einstein provou que não podia existir nenhum fluido dentro das condições estabelecidas por Newton e o astrônomo norte americano Edwin Powell Rubble, estudando a expansão do Universo, concluiu que, de fato, não poderia existir nenhum fluido (FCU) enchendo o éter, como propusera Newton. Rubble faleceu em 1953 e deixou um vasto estudo comprovado pelo satélite-telescópio que leva seu nome. Neste estudo ele evidencia que a curvatura universal se deve à expansão cósmica devida a esta energia fundamental da qual tudo se forma.

        Einstein já houvera, com sua famosa equação, provado que a matéria nada mais era senão energia condensada.

        Fluido é apenas a fase da matéria não sólida, compreendendo os líquidos e os gases. Como não existe nenhum dos dois fora das atmosferas dos astros, não se pode dizer que o espaço sideral seja fluídico.
        http://www.ajornada.hpg.ig.com.br/colunistas/imbassahy/imb-0002.htm
        Em se falando da, lei de fluidos, cada orbe a possui de conformidade com a sua organização planetária.

        Com relação ao plano terrestre, somente Jesus e os seus mensageiros mais elevados conhecem os seus processos, com a devida plenitude, constituindo essa lei um campo divino de estudos, não só para a mentalidade humana, como também para os seres desencarnados que já se redimiram dos labores mais grosseiros junto dos círculos da carne, a fim de evolutirem nas esferas mais próximas do cenário terrestre.

        Assim como o fluido_mentomagnético envolve e penetra o organismo_fisiopsicossomático do ser humano, que modela e comanda em suas mais íntimas estruturas, o Universo inteiro vive mergulhado e penetrado pelo fluido cósmico e vivificador que dimana da Mente Paternal de Deus. (segundo o Espírito São Luiz - Livro dos Médiuns item 74 - não se trata de uma emanação da Divindade, é uma criação da Divindade, isto é, produto da Vontade de Deus: "que dimana da Mente Paternal de Deus" [0])

        Como já foi dito, é no Eterno Pai que somos e vivemos. Ele é nossa vida e nossa luz, nossa essência e nossa destinação. DEle recebemos o dom do raciocínio e do movimento, da consciência e da vontade. Ele é a alma de nossa alma, a substância de nosso ser. Existimos e evoluímos para conhecê-Lo, amá-Lo e nEle nos realizarmos na plenitude do Espírito, que é felicidade e harmonia, amor e poder. Viajamos para Ele desde tempos imemoráveis,...

    do cristal ao vírus,

    da alga ao cefalópode,

    da esponja à medusa,

    do verme ao batráquio,

    do lacertino ao mamífero,

    do pitecantropo ao homem.

        Através das eras incontáveis e das inúmeras transformações evolutivas que experimentamos, Seu Divino Amor nos guia e sus­tenta, no carinho e na lucidez da Sua Justiça Misericordiosa e da Sua ilimitada Bondade.

        Infinito em Sua Solicitude, Ele não cessa de se mostrar a nós, Seus filhos, todos os dias, a todas as horas e em todas as situações, no sol da manhã e nas estrelas da noite, na imponência dos desertos e na placidez dos oásis, na doçura das fontes e na grandeza dos mares, no milagre dos nascimentos e no mistério das mortes.

        É no celeiro inesgotável do Seu Hausto Divino que os Arcanjos retiram o plasma vivificante com que constroem as galáxias e formam as constelações, distendendo e multiplicando, pelos domínios do sem-fim, a esplêndida sinfonia da vida.

        Esse Supremo Ser, Todo-Poderoso na Sua Eternidade e na Sua Glória Infinita, vive em nós, e nós vivemos nEle! Seu Hálito nos envolve e nos penetra sem cessar. Somos Seus filhos, aprendizes da ciência e da arte de buscá-Lo, de descobri-Lo e de revelá-Lo em nós mesmos, pelo nosso esforço de comunhão com Sua Divina Santidade, através do trabalho e do amor, na subida evolutiva que não pára.

        Quanto mais aprendemos e crescemos, mais pequeninos nos sentimos na escala infinita dos seres, em face das excelsas grandezas que continuamente deparamos. Quando, porém, nos voltamos para o Senhor de Tudo e de Todos, e sentimos vibrar dentro de nós o Espírito_Divino de nosso Criador e Pai, reintegramo-nos na graça e na esperança, na alegria e na felicidade de existir, cônscios de que, através do tempo-espaço de nossas limitações e de nossas dores, chegaremos um dia à intemporalidade ilimitada da perfeição, no Seio Paterno do Onipotente Amor de que provimos.

        O fluido cósmico que liga a Criação ao Criador é fonte inexaurível, sempre ao alcance de todas as criaturas.

    É nele que a nossa mente espiritual busca e encontra a quintessência energética de que se sustenta,
    e é a partir dele que elabora a matéria mental que expede através do pensamento, sob a forma de fluido mentomagnético.

        Somos, por isso, de Deus, como tudo é de Deus, porque nós, como tudo, dEle provimos e dEle nos sustentamos. Ao malbaratarmos os bens da vida, depredamos o que é do Pai Celeste, que, todavia, nos tolera e nos ensina pacientemente a usar a herança que Ele nos destinou ao nos criar, até que aprendamos, com os recursos do tempo e da experiência, a assumir e a exercer definitivamente o Principado Espiritual, no seu Reino Divino.

        Se o espaço for preenchido com um tipo de “supercondutor” que afete mais a interação fraca que o eletromagnetismo, ele atribuirá massa para os bósons W e Z e limitará o alcance das interações fracas. Esse supercondutor é formado por partículas chamadas bósons de Higgs. Os quarks e léptons também adquirem massa por meio de suas interações com bósons de Higgs. Ao adquirirem massa dessa forma, em vez de obtê-la intrinsecamente, essas partículas permanecem fiéis às exigências da simetria da força fraca.

Revista SCIENTIFIC  AMERICAN - Brasil - ANO 6 - N° 70 - Março de 2008 - página 59 - www.sciam.com.br
 Fluido vivo
        No plano_espiritual, o homem desencarnado vai lidar, mais diretamente, com um fluido vivo e multiforme, estuante e inestancável, a nascer-lhe da própria alma, de vez que podemos defini-lo, até certo ponto, por subproduto do fluido_cósmicoabsorvido pela mente_humana, em processo vitalista semelhante à respiração, pelo qual a criatura assimila a força emanante do Criador, esparsa em todo o Cosmo, transubstanciando-a, sob a própria responsabilidade, para influenciar na Criação, a partir de si mesma. 

        Esse fluido é o seu próprio pensamento contínuo, gerando potenciais energéticos com que não havia sonhado.
        Decerto que na esfera nova de ação, a que se vê arrebatado pela morte, encontra a matéria conhecida no mundo, em nova escala vibratória.

        Elementos atômicos mais complicados e sutis, aquém do hidrogênio e além do URÂNIO, em forma diversa daquela em que se caracterizam na gleba planetária, engrandecem-lhe a série estequiogenética.

 
        O solo do mundo_espiritual, estruturado com semelhantes recursos, todos eles raiando na quintessência, corresponde ao peso específico do Espírito, e, detendo possibilidades e riquezas virtuais, espera por ele a fim de povoar-se de glória e beleza, porquanto, ... 
 
  • se o plano terrestre é o seio lépido da vida em que o princípio inteligente deve nascer, medrar, florir e amadurecer em energia consciente, 

  • o plano espiritual é a escola em que a alma se aperfeiçoará em trabalho de frutescência antes que possa desferir mais amplos vôos no rumo da Luz Eterna.
 Fluido mental - Matéria mental
      
CENTROS ENCEFÁLICOS
        É, pois, em novo_plano, a dividir-se em variados setores de ação e de luta, que a consciência desencarnada, agora relativamente responsável, vai conhecer o resultado de suas próprias criações na passagem pelo campo carnal, através dos reflexos respectivos em seu pensamento, — o fluido em que se lhe imprimem os mais íntimos sentimentos e que lhe define os mais íntimos desejos.
        Com a supervisão dos Orientadores Divinos, associaram-se-lhe no cérebro o centro coronário e o centro cerebral em movimento sincrônico de trabalho e sintonia.
        Por intermédio do centro coronário, a mente administra o seu veículo_de_exteriorização, utilizando-se, a rigor, do centro_cerebral que lhe recolhe os estímulos, transmitindo impulsos e avisos, ordens e sugestões mentais aos órgãos e tecidos, células e implementos do corpo por que se expressa.
        E assim como o centro cerebral se representa no córtex_encefálico por vários núcleos de comando, controlando sensações e impressões do mundo sensório, o centro coronário, através de todo um conjunto de núcleos do diencéfalo, possui no tálamo, para onde confluem todas as vias aferentes à cortiça cerebral, com exceção da via do olfato, que é a única via sensitiva de ligações corticais que não passa por ele (8), vasto sistema de governança do espírito

Aí, nessa delicada rede de forças, através dos núcleos intercalados nas vias aferentes, através do sistema talâmico de projeção difusa e dos núcleos parcialmente abordados pela ciência_da_Terra (quais os da linha média, que não se degeneram após a extirpação do córtex, segundo experiências conhecidas), 

verte o pensamento ou fluido mental
por secreção sutil não do cérebro,
mas da mente,

fluido que influencia primeiro, por intermédio de impulsos repetidos, toda a região cortical e as zonas psicossomatossensitivas, vitalizando e dirigindo todo o cosmo biológico, para, em seguida, atendendo ao próprio continuísmo de seu fluxo incessante, espalhar-se em torno do corpo_físico da individualidade consciente e responsável pelo tipo, qualidade e aplicação do fluido, organizando-lhe a psicosfera_ou_halo_psíquico, qual ocorre com a chama de uma vela que, em se valendo do combustível que a nutre, estabelece o campo em que se lhe prevalece a influência.

        Esse fluido  ou  matéria mental tem a sua ponderabilidade e as suas propriedades quimioeletromagnéticas específicas, definindo-se em unidades perfeitamente mensuráveis, qual acontece no sistema_periódico_dos_elementos_químicos,

no plano terrestre,compreendendo-se que, em círculos da inteligência mais evoluída, surpreendentes combinações dos fatores conhecidos podem ser efetuadas com vistas a certos fins, como sucede atualmente na Terra, onde elementos como o netuno, o plutônio, o amerício e o cúrio podem ser artificialmente produzidos. 

(8) - Devemos esclarecer que a via olfatória não passa pelo tálamo, contudo, mantém conexões com alguns núcleos talâmicos através de fibras provenientes do corpo mamilar, situado no hipotálamo. — (Nota do Autor espiritual)

REFLEXÃO  DAS  IDÉIAS

        A partícula de pensamento, pois, como corpúsculo fluídico, tanto quanto o átomo, é uma unidade na essência, a subdividir-se, porém, em diversos tipos, conforme a quantidade, qualidade, comportamento e trajetórias dos componentes que a integram.
        E assim como o átomo é uma força viva e poderosa na própria contextura, passiva, entretanto, diante da inteligência que a mobiliza para o bem ou para o mal, a partícula de pensamento, embora viva e poderosa na composição em que se derrama do espírito que a produz, é igualmente passiva perante o sentimento que lhe dá forma e natureza para o bem ou para o mal, convertendo-se, por acumulação, em: 
  • fluido gravitante ou libertador, 
  • ácido ou balsâmico, 
  • doce ou amargo, 
  • alimentício ou esgotante, 
  • vivificador ou mortífero, segundo a força do sentimento que o tipifica e configura, nomeável, à falta de terminologia equivalente, como “raio da emoção” ou “raio do desejo”, força essa que lhe opera a diferenciação de massa e trajeto, impacto e estrutura.
        Com o fluido mental carreiam-se, desse modo, não apenas as disposições mentossensitivas das criaturas, em atuação recíproca, mas também as imagens que transitam entre os cérebros que se afinam pela reflexão natural e incessante, estabelecendo-se as ideações progressivas que, originariamente vertidas dos Espíritos Superiores, transmitem aos desencarnados da Terra as noções de civilização mais apurada.

E por essas mesmas entidades, em contato com as tribos encarnadas do paleolítico, semelhantes noções descem para o chão planetário, disciplinando as criaturas e ofertando-lhes novos horizontes à visão e ao entendimento.

      Pela reflexão das idéias, surge, assim, entre as duas esferas entranhado circuito de forças.


 AFINIDADE

        O homem permanece envolto em largo oceano de pensamento, nutrindo-se de substância mental, em grande proporção.
        Toda criatura absorve, sem perceber, a influência alheia nos recursos imponderáveis que lhe equilibram a existência.
        Em forma de impulsos e estímulos, a alma recolhe, nos pensamentos que atrai, as forças de sustentação que lhe garantem as tarefas no lugar em que se coloca.
        O homem poderá estender muito longe o raio de suas próprias realizações, na ordem material do mundo, mas, sem a energia mental na base de suas manifestações, efetivamente nada conseguirá.
        Sem os raios vivos e diferenciados dessa força, os valores evolutivos dormiriam latentes, em todas as direções.
        A mente, em qualquer plano, emite e recebe, dá e recolhe, renovando-se constantemente para o alto destino que lhe compete atingir.
        Estamos assimilando correntes mentais, de maneira permanente.
        De modo imperceptível, “ingerimos pensamentos”, a cada instante, projetando, em torno de nossa individualidade, as forças que acalentamos em nós mesmos. (Ver: Psicosfera)
        Por isso, quem não se habilite a conhecimentos mais altos, quem não exercite a vontade para sobrepor-se às circunstâncias de ordem inferior, padecerá, invariavelmente, a imposição do meio em que se localiza.
        Somos afetados pelas... 
  • vibrações de paisagens, 
  • pessoas 
  • e coisas que nos cercam.
    • Se nos confiamos às impressões alheias de enfermidade e amargura, apressadamente se nos altera o “tonus mental”, inclinando-nos à franca receptividade de moléstias indefiníveis.
    • Se nos devotamos ao convívio com pessoas operosas e dinâmicas, encontramos valioso sustentáculo aos nossos propósitos de trabalho e realização.
        Princípios idênticos regem as nossas relações uns com os outros, encarnados e desencarnados.
  • Conversações alimentam conversações.
  • Pensamentos ampliam pensamentos.
  • Demoramo-nos com quem se afina conosco.
  • Falamos sempre ou sempre agimos pelo grupo de espíritos a que nos ligamos.
  • Nossa inspiração está filiada ao conjunto dos que sentem como nós, tanto quanto a fonte está comandada pela nascente.
  • Somos obsidiados por amigos desencarnados ou não e auxiliados por benfeitores, em qualquer plano da vida, de conformidade com a nossa condição mental.
        Dai, o imperativo de nossa constante renovação para o bem infinito.
  • Trabalhar incessantemente é dever.
  • Servir é elevar-se.
  • Aprender é conquistar novos horizontes.
  • Amar é engrandecer-se.
        Trabalhando e servindo, aprendendo e amando, a nossa vida íntima se ilumina e se aperfeiçoa, entrando gradativamente em contacto com os grandes gênios da imortalidade gloriosa.
[10 - página 111] - Emmanuel - 1952
 

   Mas a matéria mental emitida pelo homem inferior tem vida própria como o núcleo de corpúsculos microscópicos de que se originam as enfermidades corporais?
        O mentor generoso sorriu singularmente e acentuou:
        — Como não? Vocês, presentemente, não desconhecem que o homem_terreno vive num aparelho psicofísico. Não podemos considerar somente, no capítulo das moléstias, ...
  • a situação fisiológica propriamente dita,
  • mas também o quadro psíquico da personalidade encarnada.
    • Ora, se temos a nuvem de bactérias produzidas pelo corpo doente,
    • temos a nuvem de larvas mentais produzidas pela mente enferma, em identidade de circunstâncias.
        Desse modo, na esfera das criaturas desprevenidas de recursos espirituais, tanto adoecem corpos, como almas. No futuro, por esse mesmo motivo, a medicina da alma absorverá a medicina_do_corpo. Poderemos, na atualidade da Terra, fornecer tratamento ao organismo de carne. Semelhante tarefa dignifica a missão do consolo, da instrução e do alívio. Mas, no que concerne à cura real, somos forçados a reconhecer que esta pertence exclusivamente ao homem-espírito.
        — Deus meu! — exclamou Vicente, espantado — a que perigos está submetido o homem!
        — Por isso — tornou Aniceto, cuidadoso —, a existência terrestre é uma gloriosa oportunidade para os que se interessam pelo conhecimento  e  elevação_de_si_mesmos. E, por esta mesma razão, ensinamos a necessidade da fé_religiosa entre as criaturas humanas. Desenvolvendo essa campanha, não pretendemos intensificar as paixões nefastas do sectarismo, mas criar um estado positivo de confiança, otimismo e ânimo sadio na mente de cada companheiro encarnado. Até agora, apenas a pode proporcionar essa realização.
  • As ciências e as filosofias preparam o campo;
  • entretanto, a que vence a morte, é a semente vital.
        Possuindo-lhe o valor eterno, encontra o homem bastante dinamismo espiritual para combater até a vitória plena em si mesmo.
        Compreendendo que precisaria completar o esclarecimento, exclamou, depois de pausa mais longa: 

        — Todos precisamos saber emitir e saber receber. Para alcançarem a posição de equilíbrio, nesse mister, empenham-se os homens encarnados e nós outros, em luta incessante. 

E já que conhecemos alguma coisa da eternidade, é preciso não esquecer que toda queda prejudica a realização, e todo esforço nobre ajuda sempre. 

        As explicações recebidas não poderiam ser mais claras. Aquela visão, porém, repleta de pontos sombrios a se deslocarem vagarosos, atingindo homens e máquinas, nas vias públicas, assombrava-me. 
- André Luiz

 Frequência mental
        Analogia feita entre os padrões mentais característicos de cada pessoa e a freqüência de ondas eletromagnéticas, útil para a introdução do conceito de sintonia e ressonância. Considera que ...
 Halo vital – 
Halo energético – Halo magnético
        Todas as criaturas vivem cercadas pelo halo vital das energias que lhes vibram no âmago do ser e esse halo é constituído por partículas de força a se irradiarem por todos os lados, impressionando-nos o olfato, de modo agradável ou desagradável, segundo a natureza do indivíduo que as irradia. Assim sendo, qual ocorre na própria Terra, cada entidade aqui se caracteriza por exalação peculiar.
 Força mental - A força da sugestão mental
O espírito humano lida com a força mental, tanto quanto maneja a eletricidade, com a diferença, porém, de que se já aprende a gastar a segunda, no transformismo incessante da Terra, mal conhece a existência da primeira, que nos preside a todos os atos da vida.

[96 - página 14] André Luiz
        Toda imagem mental tem grande influência sobre o nosso comportamento e destino.  Por isso, para que sejamos uma fonte de bem-estar, precisamos zelar constantemente pelos nossos pensamentos.

        Cada pensamento elevado 
gera efeitos positivos e aumenta 
nossa autonomia pessoal. 

Seja na fila do supermercado ou esperando o elevador, nossa mente não necessita estar ociosa nem aberta às distrações.  Escolhendo e memorizando alguns pensamentos inspiradores, podemos meditar sobre eles a qualquer momento, aumentando a nossa vitalidade psicológica.
[Revista Planeta - FEV/2002]
www.planetanaweb.com.br 


A mente encarnada é detentora de forças que,
necessariamente canalizadas, se transformam em 
eficazesrecursos de que o homem se deve utilizar a benefício 
do próximo e de si mesmo, na construção 
da liberdade real e do progresso sem limite. 

ARISTIDES SPÍNOLA



 Influências do bem ou do mal, na esfera evolutiva em que nos achamos, se estendem por todos os lados e por todos os lados registramos a presença de faculdades_medianímicas, que as assimilam, segundo a direção feliz ou infeliz, correta ou indigna em que cada mente se localiza

ANDRÉ LUIZ 
 
Ver também
    Quintessência do universo - 2ª parte
    Trindade universal -  Vida na Terra - Volição
Fonte:
Guia.heu.nom.br
http://www.guia.heu.nom.br/fluido_cosmico.htm
Uso terapêutico do fluido cósmico: http://www.racionalismo-cristao.org.br/gazeta/saude/fluido-cosmico.html
www.sciam.com.br
Sejam felizes todos os seres. Vivam em paz todos os seres.
Sejam abençoados todos os seres.